Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Além do princípio da sexualidade ou Sexualidade e suas vicissitudes




Em uma conversa com um analista amigo meu (não, não é letra de música) conversávamos sobre um artigo que escrevi abordando o fetiche e como um assunto leva a outro nosso assunto adentou as perversões sexuais - aliás perversão sexual é um termo ambíguo mas entrarei no mérito da questão em outro post. Eu sabia que o Japão era um país com uma vasta gama de fetiches e perversões sexuais. Desde o Hentai (animações pornográficas) a clubes que satisfazem algum fetiche - como bolinar modelos em uma sala que simula um vagão lotado ou um executivo que pode seduzir sua secretária em um ambiente simulado onde todos os presentes estão de comum acordo (sem relação sexual), passando por filmes adultos com situações de humilhação e vómitos. Mas nada disto me preparava para Daikichi Amano.

Daikichi Amano começou sua carreira como diretor de filmes pornôs "diferentes" - seu primeiro filme teve como estrela sua cadelinha. Seus vídeos mais leves envolvem cenários sexuais surreais e asfixia erótica forçada enquanto suas obras mais famosas apresentam inserções genitais extremas com sapos, peixes, insetos, enguias, cefalópodes e outros. Isto mesmo que você leu sexo com polvo.
O objetivo deste post não é chocar o leitor ou mostrar os deleites sexuais de um povo mas sim mostrar como a sexualidade exposta sem moralismo (ou seria sem frescura?) Daikichi Amano também é fotógrafo e é esta atividade que o tornou famoso no Ocidente (entenda-se Europa) Daikichi é reconhecido como artista do erótico-grotesco. Suas imagens tem como tema central a perversão compondo imagens com mulheres nuas, corpetes e cefalópodes fundidos em um único sem penetração. Daikichi alterna referências ao Japão tradicional à répteis, insetos ou criaturas marinhas.
A revista Bizarre veicula há algum tempo suas fotos regularmente, Gaspar Noé (diretor de Irreversível) o convidou para participar de seu próximo filme. Human Nature.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...