Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

domingo, 7 de março de 2010

A virtude de ser mau ou como ser nietzschiano nos dias de hoje


Este comentário é continuação direta do post Existe autoritarismo no Brasil!? ou sobre rebanhos e censores

Já falei em outras postagem sobre a definição de bem e mau de uma das maiores mentes da humanidade o filósofo Nietzsche - ele demonstra duas definições de bem e de mau dependendo da classe social, isto na Alemanha do século XVIII as classes mais altas denominavam mau como Schlecht ordinário, comum e por fim desprezível e denominavam como bom Gut forte, bravo, guerreiro e poderoso já as classes mais baixas tinham o mau Böse desconhecido, irregular e por isto perigoso enquanto bom também era Gut mas significava conhecido e pacífico [1]. Evidentemente não estou pregando a superioridade de uma determinada classe social sobre outra, mas sim a SUPERIORIDADE DE UM PENSAMENTO SOBRE OUTRO. Em uma época cada vez mais moralista onde as pessoas preferem ser parte do rebanho, seguir um modo de conduta, um pensamento pacificador (http://osdeusesmortos.blogspot.com/2010/02/uma-espiadela-em-baixo-da-saia-da.html) temos que ser bons, alegres e simpáticos mesmo quando não queremos já que é proibido estar de mal humor ou ter um único pensamento "egoísta" principalmente quando este não o é, assim nascem os monstros.
O rebanho o enorme amontoado de gente tem como virtude a sujeição provindo do desamparo e imitação - alimento de políticos ou coronéis (vou dar uma dica seu símbolo é uma estrela vermelha) lembrem-se que estamos em ano de eleição.
Minha primeira precaução é não cometer o erro de Zaratustra: O filósofo árabe sai de seu isolamento e retorna a sociedade disposto à dividir seu conhecimento com os moradores locais, estes por sua vez preferem assistir ao show de um equilibrista, Zaratustra então percebe que deve falar a poucos, pois o rebanho é surdo ao conhecimento [2].
Hoje em dia, assim como na Alemanha do século XVIII as pessoas valorizam a mediocridade, o conformismo o bom mocismo a todo custo, isto também é uma farça atingindo seu ápice com o marxismo o máximo da hipocrisia. Diferente do que os comunistas acreditam o objetivo da sociedade é gerar alguns grandes homens que em seguida irão abandona-la.
Aqueles que ousam ser diferentes, que não querem seguir o rebanho, recusam-se a usar o cabresto são chamados de vilões, monstros nós humanos somos todos seres erotizados, não tenha vergonha de suas qualidades, não mimetize seus feitos, nem sob o risco de ser considerado arrogantes ou cruéis.Eu digo seja mau, libere seu "lado negro" questione: as pessoas não são todas iguais alguns são superiores a outras, não por condições étnicas ou sociais mas por seu pensamento, aqueles que sobressaem ao rebanho, afastam-se da maça. esta é a virtude do ser superior.
Lula em sua arrogância de quem comanda o rebanho não se dá conta que ele é um fruto do mesmo, ele chora pela pobreza que mantém pois é de seu interesse, fala palavrões e coleciona bonés, jamais o rebanho esteve tão bem representado. Se Lula não existisse jamais seria inventado [3].



[1] DURANT, W. (SD) A filosofia de Nietzsche. Rio de Janeiro: Ediouro.

[2] NIETZSCHE, F. W. (1883) Assim falou Zaratustra. São Paulo: Editora Escala. SD

[3] AZEVEDO, R. (2009) Máximas de um país mínimo. Rio de Janeiro - São Paulo: Record.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...