Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Mais uma vez Sandy Capetinha ou Vasculhando os rios do inferno


Recentemente consegui um programa onde tenho acesso as estatísticas do meu Blog, pude ver quantas pessoas entram, onde estas pessoas vivem e qual o caminho que elas fizeram até meu blog. Qual minha surpresa ao descobrir que o tópico mais visitado é um do ano passado "O Contemporâneo e suas Vicissitudes (ou Classificação Indicativa, Anel de Castidade e Sandy Capetinha)" http://osdeusesmortos.blogspot.com/2009/06/o-contemporaneo-e-suas-vicissitudes-ou.html a maioria dos visitantes chegou ao Blog pelo sistema de buscas do google procurando as palavras "Sandy Capetinha". O que eles acharam do Blog ou deste tópico em particular eu já não sei.
Após esta constatação fiquei pensando o que significa ser a Sandy Capetinha? Ela é uma personagem, representa um desejo. Se ela é capetinha, obrigatoriamente existe uma Sandy Santinha, a capetinha é o negativo da bondade, da pureza, da castidade. A capetinha representa tudo que existe de cruel e erótico (portanto desejável) Sandy Capetinha rompe com o Tabu e escancara o desejo primordial do humano.
Capetinha, Satanás ou demônio. Seu nome evoca o medo e o erotismo. Enquanto no céu passaremos a eternidade tocando arpa em um taedium vitae, o inferno apresenta-se como uma orgia regada á sangue, onde tudo é permitido por isto mortal. É necessário cuidado com as curvas de Sandy Capetinha.
Estamos ficando cada vez mais moralistas, falamos de classificação indicativa, de proteger as crianças, repudiar tudo aquilo que vem do prazer enquanto busca-se o politicamente correto: favela virou comunidade; deficiente virou portador de necessidades especiais; os pobres são aqueles que necessitam de nossa atenção e cada vez mais este desejo visceral atraí nosso olhar para o Ébero (o rio que cerca o inferno). Olhamos escondidos, tarde da noite, quando ninguém mais estiver nos vigiando esta é a função da internet - o balseiro que atravessa os mortos para a morada dos prazeres proibidos.
Em uma passagem do início de carreira do Freud, cansado das críticas - sempre as mesmas e sempre das mesmas pessoas, preparava-se para apresentar mais um trabalho, de pé no centro do salão, cercado pelos médicos de Viena, antes de iniciar suas reflexões sobre o recalque sexual Freud aponta seu dedo para seus críticos e profere: Vocês criticam meus artigos porque vocês lêem os meus artigos e quando lêem vocês ficam excitados e isto os incomoda. Esta é a sexualidade da internet: esconder as fotos da capetinha (e de outras tantas modelos) de uma maneira que possamos encontra-las. Estes "segredos" habitam a net, o Ébero da sociedade. Viva Sandy Capetinha! Precisamos dela.

Um Wall paper para aqueles que ousarem entrar no limbo.


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...