Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O Lobisomem no cinema


Se comparado com outros monstros clássicos do cinema como vampiros ou zumbis o Lobisomem sempre foi subestimado, diferentemente de Drácula e Frankenstein, nosso amigo peludo não possui raízes na literatura, provindo do folclore britânico. O lobisomem debutou no cinema em 1913 com "The Werewolf" filme destruído em um incêndio quatro anos depois.
Com o bum dos monstros da universal a produtora resolveu investir no lobisomem, filmado em 1935 "The Werewolf of London". Foi só em 1941 que o Lobisomem fez o merecido sucesso com "O Lobisomem" filme que definiu as regras do monstro no cinema - como transformar-se em noites de lua cheia e e ser vulnerável apenas á balas de pratas. porém a principal característica do lobisomem é a maldição: até mesmo um homem comum que "faça suas orações todas as noites não está livre da maldição do lobisomem", com a maldição vem um conflito "o que fazer?" matar? Abdicar da liberdade? isolar-se? Morrer? Sim, o que fazer quando se está amaldiçoado?
As dificuldades técnicas em criar a transformação do lobisomem favoreceram que esta criatura fosse deixada de lado, embora surgisse eventualmente em algumas produções foi apenas nos anos 80 que o monstro amaldiçoado retornou ao cinemão.
Talvez o filme mais importante desta nova era do lobisomem seja "Um Lobisomem Americano em Londres", como se não bastasse ter recebido o oscar de efeitos especiais o filme de Jhon Landis redefiniu o estilo horrorífico dos anos 80, ao alternar cenas de comédia pastelão com momentos de carnificina. Landis promoveu em larga escala o terror divertido, representado posteriormente pelas piadinhas de Freddy Kruegger e as brincadeiras juvenis das vítimas de Jason - esta mistura de gêneros não foi criada por Landis, ela é mais antiga, mas seu filme foi fundamental para o horror oitentista.
Além do jovem americano que transforma-se em lobisomen nas ruas de Londres outras produções foram destaque como o clássico da sessão da tarde "Bala de Prata" - baseado na obra de Stephen King ou "Grito de Horror" dirigido por Joe Dante (que mais tarde dirigiria "Gremilins"). Meu filme favorito de lobisomens é "A Companhia dos Lobos" de Neil Jordan (que posteriormente dirigiria "Entrevista com o vampiro") - o filme faz uma releitura de chapeuzinho vermelho, sendo desenvolvido nos sonhos da protagonista.
"A companhia dos lobos" traça um paralelo entre a passagem da infância para a adolescência, o despertar dos desejos sexuais, sem perder a magia da infância. A jovem protagonista passa os dias com sua avó, a qual a alerta sobre os perigos dos homens, contando histórias de lobisomens, ao mesmo tempo em que costurar uma capa vermelha para sua neta, no demais vocês podem imaginar.
As décadas seguintes não foram generosas com os lobisomem, o destaque fica com "Lobo" com Jack Nicholson e Michelle Peiffer, o filme resgata o clima sóbrio dos primeiros filmes do monstrengo, a pesar da boa produção e história tétrica falta o lobisomem no filme, o recente "Lobisomem" com Benicio del Toro e Anthony Hopkins resgata o clima gótico das primeiras produções e faz jus ao lobisomem, a pesar daquele final de gosto duvidoso, este novo "Lobisomem" merece ser conferido.
O ultimo destaque fica por conta da trilogia "Possuída", diferenciando-se dos demais filmes do gênero por retratar uma mulher como lobisomem, o primeiro filme da série vai além estabelecendo uma relação entre a primeira menstruação, a repressão sexual de uma mãe conservadora e moralista com a bestialidado do lobisomem. Este singelo terror canadense teve duas continuações, todas protagonizadas pela linda screan-queen Katerine Isabelle.

Abaixe os filmes desta coluna:
(Todos os filmes estão legendados por que dublagem estraga o filme)

Um Lobsomem Americano em Londres

Bala de Prata

Grito de Horror

A Companhia dos Lobos

Lobo

Lobisomem

Trilogia Possuída

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...