VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Um pouco de prepotência, um pouco de golpe: Nos bastidores da reeleição de Lula

Já são passados cinco anos da reeleição de Lula, já fazem seis anos do escândalo do mensalão, dizem que nós temos memória curta, acredito que é verdade, não por uma questão neurológica ou genética que afete apenas o povo brasileiro mas sim pela cultura escravista que mantemos. O brasileiro em geral troca o conhecimento por migalhas e diversão momentânea. Estou esperando por uma edição do Globo repórter que explique nossa postura pela alimentação de alguma comida popular, como o feijão.

Mas por que voltar a este tema batido? Pelo simples fato de que não existem temas batidos apenas pessoas desinteressadas e comodistas: O ano é 2005 Lula e o PT estão com a corda no pescoço, o mensalão explodiu expondo a sujeira petista, Severino Cavalcante, presidente da câmara afirma estar pronto para assumir a presidência da república, caso haja um impitimam a oposição opta por esperar pelas eleições, ninguém queria ser responsável por elevar Severino a presidência.

No ano de 2006 o PSDB possui dois pré candidatos José Serra que estava empatado com Lula nas pesquisas e Alckmin, que perdia no primeiro turno, o segundo surge forte dentro do partido, corretamente agressivo, a ele juntam-se aliados enquanto Serra está preso a uma estúpida promessa de não largar a prefeitura de São Paulo. Surge ai o primeiro fator da eleição de Lula a arrogância tucana em acreditar que levaria fácil o planalto. Como consequência Lula se reelegeu, o rebanho esqueceu (ou simplesmente não se importa) com o mensalão e Dilma usou a quebra da promessa de Serra em campanha.

O segundo fator de reeleição foram os contatos petistas: Algumas horas antes de o PSDB escolher o seu candidato Fernando Henrique telefona para Carlos Montenegro, presidente do IBOPE, perguntando se a pesquisa que seria lançada no dia seguinte mostrava Serra empatado com lula. Montenegro negou. Enganado pelo presidente do IBOPE FHC recomendou a Serra que desistisse da campanha, foi o que aconteceu. Assim caminha o brasil.

Fonte: "Lula é minha anta" de Diogo Mainardi.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Mileena de Mortal Kombat

Sensual, poderosa e louca é possível definir Mileena, a ninja púrpura de Mortal kombat, nestas três palavras. Irmã gêmea da princesa Kitana (a ninja azul) criada pelo feiticeiro Shang Tsung a partir de uma mecha de cabelo da princesa e um dente de Tarkata (uma raça subterrânea de guerreiros do Out World) sempre a sombra de sua irmã Mileena enlouquece ao longo dos anos tomada pela inveja.
Kitana é a original, legítima herdeira do trono, adotada por Shao Kahn (apenas para apoderar-se do trono) já Mileena é aceita por suas habilidades. A inveja de Mileena não termina ai, embora seu corpo seja perfeito - na ultima versão de MK para Play 3 ela está mais gostosa do que sua irmã, não podemos dizer o mesmo de seu rosto, por ser uma híbrida ela possui olhos brancos, sem pupila, e boca deformada com dentes pontiagudos. O que provavelmente afugentaria qualquer pretendente.
Mileena se acha sensual, pode-se ver a partir de suas poses e vestes, o que aumenta a frustração, inveja e ódio por Kitana, relação dúbia pois ao mesmo tempo em que odeia sua irmã Mileena sente-se próxima à Kitana. A ninja azul não odeia sua meia-irmã, provavelmente a ama sente pena dela.

É comum entre os vilões uma bad gril seguir um líder maléfico, com Mileena acontece o contrário, é a ninja quem possui seu seguidor: Baraka, um ser da raça Tarkata, seguidor fiel de Mileena, Baraka está sempre próximo a ela cumprindo todos os seus desejos e disposto a dar sua vida por Mileena, o nome disto? Amor. Baraka ama Mileena, mas por ela ser da realeza ele não espera um futuro nesta relação. Mileena sabe da servidão de Baraka e o usa para comandar o exército Tarkata, um dos mais poderosos do universo de Mortal Kombat.
A pergunta que sempre me faço quando escolho uma personagem para esta coluna: Mileena é uma vilã? A resposta é um retumbante sim. Mileena é totalmente Maniqueísta, ela deseja matar Kitana e luta por Shao Kahn para conquistar o amor deste e provar ser melhor do que sua meia-irmã.


Nos cinemas Mileena recebeu as curvas da artista marcial e figurante profissional Dana Hee.

Os finais da Mileena nas versões de Mortal Kombat
  • * Mortal Kombat II: (parcialmente canônico): "Uma vez que Mileena derrota sua irmã gêmea de Kitana e ao derrotar sua irmã a ninja e ataca Shao Kahn. Pegos desprevenidos, eles não foram páreo para a velocidade de Mileena. Ela ganhou o torneio, e junto com seu companheiro secreto, governam o mundo como rei e rainha. "
  • * Ultimate Mortal Kombat 3: (não-canônico): "Ganhar o terceiro torneio permite a Mileena ganhar seu trono como rainha de Outworld. Com a ajuda de Baraka, então, ela mantém Sindel e sua filha Kitana como reféns. Juntos, eles ameaçam Shao Kahn com as suas vidas, a menos que ele atraia os guerreiros da Terra para um quarto onde Baraka pode voltar e ganhar o seu título de campeão do Ultimate Mortal Kombat". * Mortal Kombat Gold: (não-canônico): Mileena entra no quarto do trono e exige a sua posição como governante de Edenia. Kitana se recusa e afirma Mileena como governante. Mileena lança seus dois sais em Kitana, esta voa para fora do quarto em uma janela próxima, provavelmente para nunca mais ser vista novamente. * Mortal Kombat Armageddon: (não-canônico): Em seu final em Mortal Kombat: Armageddon, Mileena, após vencer Blaze, se une momentaneamente com o corpo de Kitana. Após a desunião, Mileena fica bela, enquanto Kitana se choca ao ver que sua boca se alongou, com dentes afiados como navalha, horrivelmente alinhados. Com a mudança na aparência, Mileena consegue fingir ser a princesa para, enfim, assumir seu lugar de direito no trono de Edenia. Ela aprisiona Kitana, que enlouquece no calabouço do palácio. *Mortal Kombat (2011):Mileena matou o imperador em um surto de fúria. Porém, ela não estava ciente de que sua vitória era resultante dos planos de Shang Tsung. O feiticeiro tinha imbuído Mileena com o poder de drenar a magia negra de Shao Kahn, tornando assim o imperador vulnerável. Agora Shang Tsung estava pronto para proceder para a próxima fase do seu plano: assassinar Mileena e tomar o poder de Shao Kahn para si. Porém, Mileena instintivamente usou seus novos poderes contra o feiticeiro. Shang Tsung logo foi derrotado. Mileena absorveu sua alma, tornando-se ainda mais forte. Ela então partiu em busca de um prêmio ainda maior: a alma do Deus do Trovão.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Isto é petismo: A Herança Maldita



A partir deste mês começo um novo tópico: “Isto é petismo”. Inspirado no blog "gente que mente", veja ai do lado, pegarei uma frase da Dilma e apontarei sua manipulação. Convenhamos já fazia algum tempo que eu não falava do assunto e petistas são como baratas existem em todos os lugares e se não tomarmos cuidado invadem nossos lares. Por isto é sempre bom ter uma lata de veneno a mão.
Primeiro uma frase do Lula: “O Obama recebeu uma herança maldita, que foi uma crise financeira sem precedentes. E eu recebi uma herança maldita, que era um país andando para trás. Nossa geração não terá herança maldita”. (Em reunião do G-20 na Coreia do Norte, 12/11/2010).
Agora sim a frase da presidenta: “Nós mudamos a lógica de crescimento do país, e este país tem a força que tem porque temos esta herança, este legado.” (Presidente Dilma Rousseff, negando ter recebido uma herança maldita do antecessor Lula, em Brasília, 03/09/2011).
A Dilma foi guerrilheira, ela matou seus inimigos, assaltou bancos e arquitetou atentados terroristas, mas ela não é hipócrita, pelo menos não ao nível do Lula. Talvés seu passado de crimes tenha lhe encinado um código de honrra diferente dos políticos. Vamos lá: Dilma sabe que o modelo econômico petista é identico ao desenvolvido por FHC, por um simples motivo ele funciona. Lula é um canhalha, mas não é burro, não mudaria o que funciona. Ele apenas tomou posse. A mudança de lógica dita por Dilma refere-se ao assistêncialismo. A diferença entre PT e PSDB é que o PT sustenta vagabundos em troca de votos.
Não gostou dos meus argumentos? Veja os argumentos do "gente que mente": a Controladoria Geral da União que, depois de uma enxurrada de notícias, foi empurrada a agir no Ministério dos Transportes e no Dnit.
R$ 682.232.208,53 é, até agora, a primeira parte visível e o tamanho da herança maldita que a dupla aprontou para ganhar as eleições presidências de 2010.
Apenas esse escândalo resultou na demissão de 25 envolvidos, entre eles o primeiríssimo escalão dos Transportes e do Dnit. Numa operação que o governo, marqueteiramente, começou a chamar de “faxina”, mas depois, pressionado pelos companheiros, recuou.
Agora, Dilma, PT e companhias garantem que nunca usaram o termo “faxina” e que tudo, adivinhem, foi coisa da imprensa marrom. Não é à toa que o sonho dourado do petismo é criar mecanismos para controlar a imprensa.
No último Congresso do PT realizado em Brasília no início de Setembro, praticamente nove meses depois de assumir, discursando para a companheirada e na presença do ex, Rousseff, a beneficiária, não tinha mais como ficar em cima do muro e fingir que o passado não lhe pertencia. E foi assim, levemente constrangida, que assumiu sua parte como coautora da auto-herança maldita que o Brasil enfrenta.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Uma espiadela embaixo da saia da sociedade X: Uma farsa que se faz: O caso do túnel e do garoto morto


Estava chegando em casa, este simples fato é muito mais complexo do que aparenta ser, até então era um analista, pensava psicanaliticamente, o caminho para casa serve para esta conversão deixo o psicólogo de lado, viro o eu cotidiano, o Diego, me preocupo com coisas simples.
Nesta transição algo chama minha atenção, era exibida uma reportagem sobre Rafael, o filho morto de Cissa Guimarães, atropelado em um túnel interditado, durante um racha. Porém a matéria não era triste, tão pouco de caráter investigativo. A atriz comemorava, gritava o nome do filho morto perante as câmeras, de braços abertos, cena digna de um melodrama.
Pronto, não consegui desviar a atenção, consegui deixar de ser o analista. Aquela cena, digna de uma página de "Caras" destoava da história. A atriz comemorava o fato de três grafites serem preservados dentro do túnel: o rosto de Rafael, um coração feito pela própria Ciça e o apelido "Rafa" - a atriz comemorava, os repórteres se agrupam para registrar o melhor ângulo da demorada cena.
A atriz não é a única a representar. Os grafites serão emoldurados e iluminados; o tunel irá ganhar azulejos com o rosto de Rafael, ainda estuda-se mudar o nome do túnel e batiza-lo de Rafael. Após a reportagem Cissa lamenta seu filho não voltar para casa, mas se vangloreia pelos outros garotos que poderão andar de skate pelo túnel - estes, os beneficiados estavam agrupados, tímidos e nitidamente desconfortáveis. Benefício deles?
Após a atuação o agradecimento pelo Oscar, dedicados aos adolescentes do Rio de Janeiro com gosto parecido ao de Rafael. Cissa segura o choro, a dor é verdadeira, o luto permanece, a falta irremediável, mas existe algo de teatral ao ver a atriz depositar flores no túnel, os diretores são os fotógrafos e o público emocionado aplaude. A reportagem termina, podemos voltar para nossas vidas, cada um de nós representa sua própria farsa, a farsa do cotidiano.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A construção da moralidade ou mulher melão e a vulgaridade

Estes dias encontrei na internet uma declaração da mulher melão, Renata Frison, se surpreendendo ao saber que as pessoas a consideram vulgar. Quando li a manchete concordei com a opinião geral. Em seguida fiquei pensativo, por que vulgar?

Movido por minha surpresa virei um "melologo" levantei imagens, vídeos e declarações da Mulher Melão. De imediato tive duas certezas 1) Ela é gostosa pra caralho; 2) Ela é Robert, do tipo que faz tudo para aparecer.

Como este tópico não é um "deusas vivas" vou direto para minhas reflexões. Por que chamaram a melão de vulgar? Por que concordei com esta afirmação? A Renata não se inibe em mostrar o corpo, vive dando "foras" deixando alguma "parte oculta" aparecer na frente dos paparazzi. Sua apresentação para o público foi com um topless
do lado de fora de uma radio o ápice foi o programa Super Pop onde ela tentou ser panicat, a armação era tão óbvia que me senti um idiota assistindo aquilo, fica fácil entender por que a chamam de vulgar.

Não me interessa o "por que", mas sim o "por que do por que" fiquei pensando O que a mulher melão faz? Ela é uma mulher fruta. De todas só a melancia continua na mídia, ela é funkeira, mas não canta nada; a final de contas o que ela faz? Basicamente a Renata é a mulher melão. Sua profissão é ser mulher melão. Ela não é uma gostosa profissional, ela é extremamente gostosa e vive dos seus melões.

Já falei aqui sobre o Charlie Sheen a inveja provoca as críticas - inveja de mulheres, inveja dos homens por não terem uma mulher desta, inveja daqueles que precisam trabalhar e principalmente inveja dos mais reprimidos.

Bom, a inveja explica o "vulgar", porém não explica a minha adesão tão rápida - não me entendam mal, morro de inveja da "vida fácil" que ela e outras sub celebridades levam, mas esta explicação seria cair em lugar comum. O brasil se orgulha das mulheres lindas, das praias e de termos uma vida mais leve tranquila do que os europeus, asiáticos e americanos, este orgulho é uma mentira.

Nos somos liberais, mas é proibido fazer topless
somos sexualmente abertos, mas qualquer menção de sexualidade é rapidamente retalhada, as conversas mais picantes são permitidas entre amigos, em grupos restritos, mas repudiadas em público. Concluíndo esta liberdade do brasileiro é uma farsa, somos prisioneiros de nossa criação, a sociedade, mais uma vez recorro a metáfora do Frankenstein - não sabemos o que fazer com nossa criação.

A realidade não existe enquanto algo fixo, mas sim como representação, tão poderosa que nos aprisiona dai minha rapidez em concordar com a frase popular. Não estou dizendo que a mulher melão é uma lady porém valores como "mulher vulgar" e "mulher casta" são criações nossas as quais aderimos cegamente, esta é a base da construção da realidade, do nosso cotidiano.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Sexta-feira 13: Nasce um ícone do horror ou Um Halloween mais simples




Sexta-feira 13 é o mais célebre e importante representante do slasher movie, filmes repletos de assassinatos e cenas sensuais. Este subgênero é mais antigo que a série do mascarado, porém foram Jason e seu arsenal quem popularizaram o gênero, mas este é assunto para outro post.
Não é necessário ser grande fã do cinema horrorífico para saber que Jason Voorhees é mais famoso do que Michael Mayers, o irônico é que Mayers influênciou a criação de Jason. Em 1979, depois do sucesso de Halloween os produtores imaginaram uma formula simplificada da obra de Carpenter. O sucesso do filme deve-se a participação do mago dos efeitos espaciais Tom Savini e da atuação de Betsy Palmer como senhora Voorhees.
Outra curiosidade é a criação de Jason. Sean S. Cunningham, um dos produtores da série e diretor do primeiro filme, nunca gostou da personagem, ele deveria ser apenas uma ameaça invisível ou uma persença ameaçadora para dar tom a série, gradativamente Jason roubou a cena, tornou-se protagonista e ícone pop.
Jason era uma criança, podemos dizer lenta, filho de uma mãe protetora que vivia para o garoto, após sua morte Jason continuou levantando do túmulo em busca de vingança contra adolescentes libidinosos. Se Mayers é o bicho papão Jason é o guardião da moral, uma instância superegoica que pune os adolescentes que cruzam seu caminho.
Os filmes:
Sexta-feira 13 Reza a lenda que 20 anos atrás um garoto de nome Jason se afogou no acampamento Crystal Lake enquanto os monitores transavam sem conseguir descançar o espírito do garoto retornava para punir quem quer que invada seu território. Ignorando esta lenda Um grupo de amigos compra o terreno em volta do lago e prepara-se para reinalgurar o acampamento, quando iniciam os assassinatos.
O assassino não era Jason, mas sua mãe Pâmela Voorhees, que voltou para vingar a morte de Jason. Com boa dose de suspense e mortes criativas, cortesia do mago Tom Savini e a estréai de Kevin Bacon no cinema Sexta-feira 13 revela-se um ótimo filme de terror, Jason surge em um sonho, ele seria o susto final. Um filme obrigatório para qualquer fã do terror.
 
Sexta-feira 13 parte 2 O sucesso de SF13 foi tão grande que no ano seguinte, o assassino não poderia ser outro se não Jason (adulto e não uma criança) usando uma máscara de pano (!) aterroriza um grupo de jovens. É deste filme um dos dois pôsteres mais famosos da série, a silhueta do Jason com o acampamento dentro do contorno de seu corpo.
Uma curiosidade: a parte dois é considerada a mais violento de toda a série, por um simples motivo ele copia uma a uma as mortes do italiano "banho de sangue" de Mario Brava, mesmo assim merece ser conhecido.
Sexta-feira 13 parte 3 Sendo rigorosos podemos dizer que Jason nasceu para o cinema neste filme, pela primeira vez ela veste sua máscara branca. O acampamento Crystal Lake permanece fechado, Jason ataca alguns amigos que acampavam em uma casa de campo ali perto.
O filme fora apresentado nos cinemas em 3D o que explica o alto número de ferramentas e instrumentos cortantes apontados para câmera, temos aqui um dos melhores embates entre mocinha do filme Vs. Jason valendo enforcamento e machadada na cabeça. Existem duas versões disponíveis em DVD uma simples e outra em 3D. Vale a pena ir atrás deste filme.

Sexta-feira 13: Capítulo Final O ano é 1984, os slashers movies invadem o cinema, dentre eles "Natal Sangrento" onde o assassino veste-se de Papai Noel, claro que as mães americanas ficariam revoltadas, de tanto tagarelarem os monstros do cinema foram banidos, preocupada com sua imagem a Paramont decidiu matar Jason e nada melhor do que uma criança para a execução.
Dados históricos a parte este é um dos meus favoritos da franquia a impressão é que os produtores queriam dar uma saideira digna para Jason com mortes espetaculares incluindo a do próprio Jason (mais uma vez Savini), um par de irmãs deliciosas, muita sensualidade e o outro pôster mais famoso da série com a máscara de Jason atravessada por uma faca.

 
Sexta-feira 13 parte V: Um Novo Começo Deve existir uma espécie de maldição envolvendo o número cinco nas franquias terrorríficas. Seja Sexta-feira 13, A Hora do Pesadelo ou Holloween em todas estas franquias a parte cinco é péssima. Vamos lá - ao que parece o clamor dos fãs foi maior do a fúrias das mães moralistas e Jason volta... Bom mais ou menos.
Lembram-se do garoto que matou Jason? Agora ele está adulto e olha que a parte cinco foi filmada um ano após o quarto filme, ele volta ao Crystal Lake para ser tratado em um hospital psiquiátrico, onde começam a ocorrer mortes ao estilo Jason, porém a identidade do assassino é uma surpresa idiota. Só vale pelas atrizes que desfilam com os seios de fora durante todo o filme. Assista por sua conta e risco.
Sexta-feira 13 Parte VI: Jason Vive O nome diz tudo, após o fiasco da parte cinco os produtores ressuscitam Jason e não poderia ser melhor, o garoto que matou Jason está de volta, completamente curado, com desejo de vingança ele escava o túmulo de Jason para atear fogo no cadáver (?!) porém Jason é atingido por um raio e ressuscita.
É neste filme que começam as mortes cômicas como três pessoas sendo mortas ao mesmo tempo ou o início que lembra 007 - a pesar do que pode parecer a parte seis é um dos melhores da série, muito divertido.
Sexta-feira 13 Parte VII: A Matança Continua Jason Vs. Carrie a estranha, uma garota com poderes psíquicos volta para Crystal Lake para se tratar e lidar com a culpa por ter matado seu pai, acidentalmente ela ressuscita Jason. A ideia é esdruxula, mas o filme apresenta a melhor caracterização de Jason (semidecomposto); as mulheres mais bonitas da série, incluindo uma ruivinha peituda, este filme marca a estreia de Kane Hoder como Jason, o favorito dos fãs.

 
Sexta-feira 13 parte VIII: Jason Ataca em Nova York Jason morde a grande maçã ou quase isto. O afogado ressuscita e sobe abordo de um navio que levaria formandos para Nova York. Jason surge onipresente quase como um espírito enquanto a screan queen da vez tenta superar algum trauma de infância. A sequencia final se passa na "cidade que nunca dorme" onde Jason encara uma máscara de hóquei gigante. Estreia de Kelly Ho no cinema.
Jason vai para o inferno a ultima sexta-feira Com o final dos anos 80 a série parecia estar morta, para tentar revigorar a franquia Sean S. Cunningham tenta desmitificar a figura de Jason, mostrando os demais membros da família Voorhees, são todas pessoas normais, um dos mais nojentos da série envolvendo pessoas devorando o coração de Jason e corpos derretendo. O grande equívoco deste filme são os poucos minutos em que Jason aparece na frente da tela.
    Jason X Cientistas tentam capturar e congelar Jason para descobrir o segredo de sua regeneração para usos militares, lógico que as coisas dão errado e Jason é congelado por 400 anos até um grupo de estudantes levar o cadáver congelado de Jason para o espaço onde ele se transforma em Super Jason. Uma dica não leve este filme a sério, não ligue para qualquer ideia ou cena estapafúrdia e você irá se divertir, pois Jason X não é um filme de terror propriamente dito mas sim um filme de humor negro. Uma curiosidade de Jason X o Brasil foi o primeiro país em que o filme foi exibido.
Freddy X Jason Tanto Jason X quanto O Novo Pesadelo haviam dado prejuízo aos cofres do estúdio, uma incoerência devido ao número de fãs, sabendo disto a New Line convocou Ronny Yu, diretor de "A Noiva de Chucky" para cumprir a promessa de "Jason vai para o Inferno" (na ultima cena Freedy recupera a máscara de Jason) e junta os dois vilões em uma ode ao saudosismo.
Freddy estava esquecido e por isto sem poderes, sem escolha o assassino dos sonhos revive Jason para que este inicie uma matança, Freddy ficaria com as glórias. Porém Jason não para, Freddy irrita-se com o afogado e parte para briga. Alguns chatos torceram o nariz para este filme, mas quem realmente é fã de um dos dois adorou o filme e reviveu parte de sua infância/adolescência.

Sexta-feira 13 Temos aqui uma rara refilmagem que não funciona como refilmagem, mas sim como sequencia. A estrutura da série e sua cronologia esdruxula são as principais responsáveis. Um grupo de jovens vai para Crystal Lake e tornam-se vítimas do Jason. Esta nova versão tem tudo: assassinatos, gostosas nuas, um Jason assustador e divertidas transas interrompidas pelo mascarado. Como porém fica apenas o excesso de violência a lá "torture porn" subgênero diferente do slasher e claro o sequestro da garota, de onde tiraram esta ideia? Provavelmente de Halloween de Robie Zumbi.






 


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Os 1000 de Rogério Ceni


Nesta ultima quarta-feira Rogério Ceni deu mais um passo para deixar de ser humano e tornar-se um mito. Rogério alcançou a marca de 1000 jogos por uma só equipe, aliás Rogério não, Rogério Ceni. Chama-lo simplesmente pelo primeiro nome é relevar Ceni ao lugar comum, algo que ficou para trás.
Rogério Ceni brinca com números, sua camisa é a 01, como se a número um não fosse suficiente, ela reserva-se aos goleiros, Rogério Ceni é mais do que goleiro, 01 é 10 é ídolo, são 100 gols, 1.000 jogos. Rogério Ceni é eterno, goleiros são malditos, onde eles pisam não nasce grama, Rogério Ceni é semideus.
Para aqueles que ainda não entenderam a importância deste feito, basta lembrar que Rogério Ceni possui menos jogos por um só time do que Roberto Dinamite com 1110 jogos pelo Vasco de Gama e Pelé com 1116 jogos pelo Santos. É neste grupo que Rogério Ceni se insere, ele revive o futebol do passado, o romantismo de defender apenas um clube, o amor pela camisa, ter seu nome vinculado ao São Paulo, sendo impossível separar jogador e clube.
Rogério Ceni representa tudo o que significa ser são paulino, glorioso e invejado. Caso alguém ainda não esteja convencido de seu feito. Grandes jogadores em atividade, com nomes vinculados a seus clubes como Paolo Maldini encerrou sua carreira com 937 jogos pelo Milan; Alessandro del Piero possui 606 jogos pela Juventus; Javier Zanetti tem, até o momento 750 jogos pela Internazionalle Milano; Raúl alcançou 741 jogos pelo Real Madrid e Ryan Giggs jogou 614 partidas pelo Manchester United. Você pode não gostar de Rogério Ceni mas tem que respeita-lo se não por quem ele é, mas pelo futebol.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Samara Leite



Esta gata de olhos verdes, pele amendoada, cabelos negros e boca carnuda quase cometeu o pecado de esconder seu rosto. Explico, para quem não relacionou o nome ao rosto (ou máscara) Samara entrou no mundo artístico com a personagem indiana do Funk.
Sua ascendência indiana e o então sucesso da novela global foram suficientes para ela se tornar a nova musa do funk. Indecisa quanto ao time de coração Samara se dizia flamenguista no Rio de Janeiro e são paulina em São Paulo - esta informação é interessante apenas pala ilustrar uma situação inusitada:
Antes do tri-hexa do São Paulo Samara disse ser fã do Muricy Ramalho e ofereceu-se para consolar o técnico após a eliminação para o Cruzeiro na Libertadores da América. Na época ela fez uma matéria para TV Lance! Perguntando aos torcedores como aproximar-se de Muricy. Porém os 108 cm de quadris; 65 cm de cintura e 92 cm de busto não foram suficientes para seduzir o técnico que casado se saiu desta afirmando que Samara tinha idade para ser sua filha. Pô Muricy!
Sua carreira no funk não foi promissora e Samara aposentou a personagem no mundo pornô. Sua carreira foi curta, durando quatro filmes quando retirou a máscara e fez os homens do brasil felizes com sua beleza, ofuscada apenas pelos gritinhos sensuais que soltava durante seus filmes.
Agora aos 21 anos e sem máscara Samara também mudou de profissão tornando-se dançarina em shows e modelo fotográfica - a maioria de seus ensaios podem ser vistos em seu blog e em seu perfil do Orkut e no Face Boock feitos para divulgação (links no final do post). Todos comportados (ou quase) Samara expõe sua beleza em fantasias sexuais. Agora mais mion suas medidas estão em 88 cm de quadril; 57 cm de cintura e 92 cm de bustos distribuídos em 172 cm de altura. Seu primeiro ensaio foi como musa da copa, que lhe rendeu a capa da revista "Área VIP" primeiro e único ensaio nu. Pô Samara!
Seu nome verdadeiro é Cintia Batista Leite, nascida em 22/08/88 ela adora comida japonesa, champanhe e pode ser encontrada na praia de Búzios RJ. Determinada, porém Possessiva Samara afirma que suas coxas são as partes favoritas de seu corpo. Fora Muricy ela afirma sonhar com Vin Disel, dando preferência para homens carinhosos que a realize na cama. A pesar da descrição ela prefere beleza interior a exterior.
 Safadinha ela não consegue ficar mais de dois dias sem sexo, mas sexo anal só com alguém muito especial. Neste espírito o lugar mais sensual onde Samara transou foi em uma balada, seu parceiro levantou seu vestido e fizeram na pista. Ela raramente usa calcinha, gosta de ser pega de jeito e ser dominada na cama. O lugar mais inusitado que transou foi dentro de um carro em uma estrada deserta.

 


 



















 
Ficha da moça:
Nascimento 22/08/88
Local de Nascimento: Goiânia (GO)
Altura: 172 cm
Peso: 62 Kg
Busto: 92 cm
Cintura: 57 cm
Quadril: 88 cm
Coxa: 58 cm

Seguem alguns links da Samara:






quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Fora Ricardo Teixeira - Nos bastidores do Movimento


Era a ultima rodada do primeiro turno do brasileirão, apenas clássicos, o que parecia ser um show proporcionado pela CBF tornou-se a maior manifestação, até agora, contra o poderoso chefão da CBF. A maior parte das torcidas organizaram faixas e cantos contra Teixeira. A única confusão foi proporcionada pelos policiais que faziam a segurança na Vila Belmiro, que seguindo ordens, tentaram proibir a entrada de faixas no estádio.
São Paulinos, palmeirenses, flamenguistas, colorados, gremistas, torcedores do Figueirense se uniram a outras torcidas em um só grito "fora Ricardo Teixeira" movimento iniciado na visita de Blatter ao Rio de Janeiro, repetido em São Paulo e agora prolongado nos estádios. Teixeira acreditou que ao trazer a Copa do Mundo para o brasil ele estaria se fortalecendo, felizmente sua arrogância o cegou e agora Ricardão se vê pressionado, como nunca antes.
A exceção se deu por Corinthians e Santos, ambos dirigentes manipulam suas torcidas em troca de migalhas e divertimento, Andrés Sanches é o maior exemplo de apoio incondicional a Ricardo Teixeira, ou deveria dizer cachorrinho de Teixeira? A Rede Globo e Band blindaram o presidente da CBF - a primeira por acordos pessoais e a segunda por conivência com seus amigos, mais especificamente Neto que lambe seu amigo auxiliando este nas suas mentiras para torcida corintiana.
Mas qual a gênesis deste movimento? A hiperexposição do "dono da CBF" auxilia a explicação, porém o marco inicial acabou sendo dado pelos canais ESPN que sempre criticaram Teixeira intensificaram suas críticas, apresentando aos torcedores o jornalista inglês Andrew Jennings autor do livro "Jogo Sujo" no qual denunciava a corrupção na FIFA, apresentando Teixeira como um dos principais nomes no esquema de lavagem de dinheiro.
Os jornais "Folha de São Paulo" e "Lance!" eternos inimigos do Ricardo também incrementaram esta luta, associando-se à ESPN. Por fim a Record, após ser passada para trás pela Globo e pela CBF, entrou na luta popularizando as críticas. Existe um movimento crescente contra Teixeira, cada vez mais pessoas se aglomeram, porém é necessário ficar atento á possíveis sucessões oportunistas, fala-se no nome de Andrés Sanchez para sucessão na CBF.
"Aquilo em que não pudermos chegar voando, chegaremos mancando" (antigo ditado alemão).  


"Os Deuses Mortos" Oito Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...