Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Quem foi o Homem dos Lobos?

Serguei Constantinovich Pankejeff, mais conhecido como "o homem dos lobos" Nasceu no sul da Rússia em uma rica família da aristocracia rural no ano 1887, Serguei foi o terceiro caso clínico publicado por Sigmund Freud após uma análise de três anos.

Serguei era o irmão mais novo de dois, sendo criado ao lado de Anna, sua irmã dois anos mais velha e sexualmente precoce por quem nutria fantasias sexuais que até hoje são questionadas como verdadeiras ou inventadas por Serguei. Entre suas fantasias Anna se exibia nua após o banho, mostrando seu bumbum ou brincava com seu pênis. Além de Anna faziam parte de sua família três governantas, a mãe afetada por distúrbios psicossomáticos e seu pai, um político liberal, sofrendo de forte depressão.

A família de Serguei parecia estar tomada pela nuvem da tragédia. Seu tio por parte de pai, Pedro, sofria de paranoia e vivia entre os animais selvagens se afastando do convívio humano; seu outro tio por parte de pai Nicolau sequestrou a noiva de um de seus filhos para desposa-la a força. O sequestro não teve sucesso; um primo por parte de mãe morreu internado em um manicômio sofrendo de delírios paranoicos.

Ainda na infância o jovem Serguei apresentava sintomas de uma neurose grave nutrindo enorme medo e ódio por animais desejando tortura-los mas temendo ser atacado pelos mesmos. Enquanto tornava-se violento e desagradável sua irmã Anna destacava-se em tudo que fazia, até chegar a puberdade onde adoecera psiquicamente e cometera suicídio aos 20 anos de idade, então com 18 anos Serguei não se comoveu como era de se esperar com a morte da irmã, aos 20 anos foi a vez de seu pai cometer suicídio. No mesmo ano Serguei se apaixonou por uma mulher do povo chamada Matrona, que lhe passou gonorreia. A partir deste ano o jovem russo entrou em depressão profunda, passando por vários sanatórios, onde apaixonou-se por uma enfermeira mais velha Teresa keller, os tratamentos seguiram inúteis até cair nas mãos de Sigmund Freud.

Serguei Constantinovich Pankejeff

Freud foi o primeiro a prestar atenção na história de vida de Serguei, contrariando a família do russo que o proibiam de ver Teresa, Freud pediu que este esperasse o final do tratamento e não se opôs ao casamento dos dois com o final da análise. Pela primeira vez o Homem dos Lobos sentiu que estava sendo ouvido, ao invés de ser tratado apenas como um doente, ele e Freud se davam muito bem nutrindo sentimentos de cuidado e amizade, os tratamentos de Serguei acabaram com sua fortuna e por várias vezes Freud lhe deu de comer e buscava auxílio de outros psicanalistas para sustentar Serguei.

A patologia de Serguei teve início na infância após uma tentativa frustrada de seduzir as três empregadas e sua irmã Anna, que o seduzia para repeli-lo em seguida. Como fruto destas relações Serguei passou a procurar mulheres "inferiores" de baixa classe ou que trabalhassem para ele. O que explica seu amor por Teresa mas não sua doença.

O sonho com os Lobos

Foi a partir da interpretação de um sonho que Freud chegou a gênesis da patologia e que Serguei ganhou seu apelido: no sonho o jovem russo, então aos quatro anos de idade, acordou assustado, sua janela se abriu sozinha, o garoto pode ver uma enorme nogueira com seis ou sete lobos sentados sobre a árvore - "os lobos eram inteiramente brancos e mais pareciam raposas ou cães pastores, pois suas caudas eram compridas como raposas e suas orelhas em pé, como os cães quando prestam atenção em alguma coisa" descreve Serguei que acordava gritando após o sonho.

A análise deste sonho perdurou por três anos e sempre voltava as sessões ambos, Freud e Serguei, perceberam sua importância. Este era um sonho de angústia, o mais antigo do homem dos lobos que identificou conteúdos anteriores aos quatro anos de idade. Ou seja seu sonho relatava algo que aconteceu antes e ficou gravado em seu inconsciente. O paciente falava que os lobos o olhavam fixamente, revelando algo que ele não deveria ter visto. Algo proibido.

A partir dos sonhos e da sexualidade infantil do Homem dos Lobos Freud chegou na descrição de uma "cena primária" um mixto de fantasia com realidade em que uma criança flagra os pais fazendo sexo. No caso de Serguei ele tinha 18 meses de idade quando dormia no quarto dos pais por causa da malária que havia contraído, após acordar tomado pela febre o jovem Serguei flagra seus pais parcialmente vestidos de branco, ajoelhados sobre o lençol branco transando como animais. Ao reparar na expressão de prazer da mãe o bebê começou a chorar.


Desenho feito pelo "Homem dos Lobos"
Toda a vida de Serguei foi permeada pela pergunta "onde eu entro" e "qual o meu lugar" a interpretação deste sonho contribuiu para que Serguei conseguisse abandonar seu lugar de filho e se torna-se adulto, podendo seguir com sua vida alheio as tradições e obrigações familiares.

Também não podemos esquecer a suposta ou não relação incestuosa com sua irmã, de fato não importa o que aconteceu entre Serguei e Anna, o homem dos lobos sentia como real e isto era suficiente para afoga-lo em culpa que merecia ser punida. A "escolha" dos lobos veio de duas histórias infantis "Chapeuzinho vermelho" e "Os sete cordeirinhos" onde o lobo é o portador do medo. Na época não as versões adocicadas não eram tão comuns e o lobo devorava as personagens dos contos de fadas.

Após este mergulho no inconsciente de seu paciente Freud o considerou curado, Serguei publicou sua biografia, revelando-se publicamente, o Homem dos Lobos fazendo fama e fortuna explorando seu tratamento e "apelido" e tornando-se uma das celebridades mais conhecidas e importantes da primeira metade do século XX.

Serguei morreu aos 58 anos, em Viena, em 1945 acompanhado de seu médico e membros da sociedade psicanalítica de Viena que sobreviveram a devastação nazista.

O Sonho Completo relatado a Freud e publicado em "História de uma Neurose Infanril" (1914-1918)

"‘Sonhei que era noite e que eu estava deitado na cama. (Meu leito tem o pé da cama voltado para a janela: em frente da janela havia uma fileira de velhas nogueiras. Sei que era inverno quando tive o sonho, e de noite.) De repente, a janela abriu-se sozinha e fiquei aterrorizado ao ver que alguns lobos brancos estavam sentados na grande nogueira em frente da janela. Havia seis ou sete deles. Os lobos eram muito brancos e pareciam-se mais com raposas ou cães pastores, pois tinham caudas grandes, como as raposas, e orelhas empinadas, como cães quando prestam atenção a algo. Com grande terror, evidentemente de ser comido pelos lobos, gritei e acordei. Minha babá correu até minha cama, para ver o que me havia acontecido. Levou muito tempo até que me convencesse de que fora apenas um sonho; tivera uma imagem tão clara e vívida da janela a abrir-se e dos lobos sentados na árvore. Por fim acalmei-me, senti-me como se houvesse escapado de algum perigo e voltei a dormir".

"A única ação no sonho foi a abertura da janela, pois os lobos estavam sentados muito quietos e sem fazer nenhum movimento sobre os ramos da árvore, à direta e à esquerda do tronco, e olhavam para mim. Era como se tivessem fixado toda a atenção sobre mim. — Acho que foi meu primeiro sonho de ansiedade. Tinha três, quatro, ou, no máximo, cinco anos de idade na ocasião. Desde então, até contar onze ou doze anos, sempre tive medo de ver algo terrível em meus sonhos."

Para saber mais sobre uma das figuras mais pitorescas do século passado recomendo "O HOMEM DOS LOBOS" E OUTROS TEXTOS" o volume 14 das obras completas de Sigmund Freud - aqui


3 comentários:

  1. Oi Diego,

    Tudo bem? Já conhecia esse contexto e sempre penso que aí se comprova que todo mal vem para um bem. A tragédia humana de Serguei permitiu as intensas revelações de Freud.

    Excelente texto!

    ResponderExcluir
  2. legal.... agora conheço melhor a história que vcs sempre comentam.
    mas deixe ver se entendi direito: daí ele morreu e reencarnou alguns anos depois no brasil, onde comeu a janis joplin, foi isto?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...