Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Freddy Krueger O assassino dos sonhos ou os filhos pagarão pelos pecados dos pais




De todos os assassinos dos anos 80 Krueger é o mais popular e também o mais humano, provavelmente uma coisa está relacionada com a outra. Ao contrário de seus colegas Michael Mayers e Jason, Freddy possui uma personalidade e motivações humanas. Jason é territorialista e mata quem se aproxima do Cristal lake, Mayers é o mau. Já Freddy era um assassino de crianças antes de virar um monstro.

A história de Freddy começa antes de seu nascimento, sua mãe, a freira Amanda Krueger era voluntária em um manicômio judicial, na véspera de um feriado prolongado ela acabou trancada por acidente, os guardas tinham pressa para curtir o feriado, e a freira foi estuprada durante três dias pelos criminosos. Ao nascer o bebê foi entregue para adoção, onde foi vitimizado por outras crianças e por seu padrasto.

Já adulto Freddy era um sujeito normal, trabalhador, pai de família e bom vizinho. Pelo menos era o que parecia. Krueger atraía e assassinava as crianças para mata-las, é nesta época que surge sua luva com navalhas nas pontas dos dedos. Freddy não se contenta em assassinar suas vítimas, ele gosta de tortura-las. Eventualmente Krueger foi preso, porém o juiz não assinou o mandado de prisão e o assassino fora solto. Revoltados os pais se reuniram e atearam fogo em sua casa o queimando vivo. Depois de morto Freddy tornou-se "algo pior" (para citar o pai de uma de suas vítimas) e as possibilidades sádicas de Freddy apenas aumentaram ao invadir os sonhos dos filhos de seus assassinos.

Outro ponto importante é a música cantada pelas crianças mortas por Freddy, todas tristes e estereotipadas simulam uma brincadeira de pular corda, porém sem a espontaneidade infantil, em meio ao nevoeiro refletindo um mundo desesperançoso e sem futuro:

"Um, dois, O Freddy vem te pegar,
Três, quatro, é melhor trancar a porta.
Cinco, Seis, Agarre seu crucifixo,
Sete, oito, fique acordado até tarde.
Nove, dez, não durma nunca mais"

Freddy foi criado por Wes Craven após ver uma notícia de um menino que não queria dormir, alegando que se dormisse seria morto. Os pais do garoto o doparam e o menino morreu enquanto dormia. Existe uma outra inspiração, mais social. Freddy Krueger foi idealizado como uma crítica aos excessos dos anos oitenta - Preocupado com o futuro Craven sabia que os filhos desta geração pagariam o preço - estamos vendo os efeitos hoje em dia com o excesso de patologias psíquicas e a massificação dos jovens.

Robert Englund
A popularização de Freddy como um ícone da cultura pop foi algo que Craven sempre temeu e nunca conseguiu impedir. Além dos filmes Freddy protagonizou uma série de televisão fraca, que apesar da presença de diretores famosos do mundo do horror nunca conseguiu empolgar. Atualmente Freddy apareceu na nova versão de Mortal Kombat - na mitologia do jogo Freddy foi derrotado por Shao Kahn no mundo dos sonhos, se tornando mortal. Para retornar ao mundo dos sonhos Freddy precisa vencer o torneio.

Não posso falar do mestre dos sonhos sem mencionar seu intérprete Robert Englund - principal responsável pelo culto a Freddy. O ator norte-americano é um especialista em filmes de terror, fã declarado do gênero passou por produções como "Galáxia do Terror" (1982); "Lenda Urbana" (1997); "Mestre dos Desejos" (1997); "Nasce um monstro" (1993), "2001 Maníacos" (2005) e outras pérolas esquecidas pelo mercado de DVD. Acima de tudo Robert é um legítimo cavalheiro, sendo querido por todos que trabalharam com ele e ator competente que conhece todas as manhas de seu ofício.

Os Filmes:

A Hora do Pesadelo: Quando Nancy passa a noite na casa de sua amiga, que tem problemas de relacionamento com seu namorado, ela descobre que todos estão tendo pesadelos com um homem com pele queimada, chapéu de feltro e garras em uma das mãos. Durante a noite esta amiga é morta, ninguém encontra o assassino e o namorado é preso como culpado.

Nancy percebe que existe alguma coisa de muito estranho na cidade e que seus pais estão escondendo alguma coisa deles - o assassinato de Freddy Krueger, resta a Nancy descobrir como derrotar um ser que "vive" nos nossos sonhos. "A hora do pesadelo" é um dos exemplares terríficos mais importantantes dos anos oitenta, sendo até hoje um clássico do gênero tendo a morte da loirinha, amiga de Nancy e a morte de Johnny Depp como inesquecíveis. Aliás está série tem como tradição revelar talentos do cinema.

A Hora do Pesadelo 2: O filme tem um dos melhores começos de toda a série: Freddy aparece dentro de um ônibus escolar o levando até um precipício onde se prepara para atacar. Infelizmente para por ai, muito fraco o filme comete um pecado mortal trás Freddy para o mundo dos vivos o transformando em um assassino comum. Claro que os fãs não gostaram. A confusão do jovem possuído por Freddy e a cena da ressurreição, onde o senhor dos sonhos sai de dentro do corpo de um cara não são suficientes para salvar o enredo.

A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos: Após a barbaridade cometida no filme anterior Craven escreveu o roteiro deste. Ambientado em um hospital de saúde mental, onde os sobreviventes dos sonhos de Freddy são tratados. Nancy retorna como especialista no estudo dos sonhos. Conhecemos aqui a horigem de Freddy e o estupro coletivo de sua mãe. Como a única que conhece Freddy Nancy ensina os jovens a enfrenta-lo Freddy tornarem-se poderosos em seus sonhos. Ficamos sabendo que as almas dos mortos por Krueger dão a ele força e o poder de pular de sonho em sonho. Um dos melhores da série. Filme que revelou Laurense Fishburne e Patrícia Arquete.

A Hora do Pesadelo 4: O Mestre dos Sonhos: Tido como o melhor da franquia por muitos fãs da série, devido principalmente as mortes inventivas como: a menina que se transforma em barata, a pizza de almas ou a garota morta durante uma prova. O quarto exemplar tem um dos meus momentos favoritos a cena em que Freddy retorna em um ferro-velho. A parte quatro é uma continuação direta do terceiro exemplar e embora não acrecente muito a série é um dos mais divertidos filmes protagonizado pelo senhor Krueger, dirigido por Renny Harlin de "Duro de matar 2" e "Risco Total".

A Hora do Pesadelo 5:
O Maior Horror de Freddy:Se existe uma maldição nos filmes de terror esta gira em torno do quinto filme da série. Em todas as franquias a quinta parte é a pior de todas - vide "Sexta-feira 13" e "Halloween". Aqui Freddy está enfraquecido, ele já não consegue invadir os sonhos dos adolescentes, como única alternativa ele se alimenta do medo de um feto para se fortalecer. Fora a premissa fraca o filme conta com poucas mortes (três no total), todas chatas, personagens desinteressantes e soluções simples.

O Pesadelo Final: A Morte de Freddy Krueger:
Freddy conseguiu eliminar todos os adolescentes de sua cidade, os adultos vivem em uma negação coletiva, porém Krueger não pode sair de sua cidade(?) como solução ele envia um jovem em busca de novas vítimas. Sem dúvidas este filme parte da premissa mais absurda da série, apenas um pouco melhor que a parte cinco a parte 6 conta com mortes melhorzinhas porém com uma direção exagerada e fraca - como o assassinato dentro de um videogame. Ficamos sabendo que Freddy teve um filho. O desfecho, dentro da mente de Kruegger, foi exibido nos cinemas em 3D.

O Novo Pesadelo: o Retorno de Freddy krueger:
Após os últimos dois fiascos Craven foi chamado para dirigir esta sétima parte e não decepciona. Os atores dos filmes estão tendo pesadelos com Freddy, isto inclui o filho de Heather Langencamp (atriz que interpreta a Nancy nas partes 1 e 3) gradativamente realidade e ficção vão se juntando até o desfecho. Não deixa de ser interessante ver Craven e Robert Englund discutindo sobre a existência Freddy. Embora tenha a melhor ideia da série o público não gostou rejeitando o filme nos cinemas Craven retomou a ideia de filme dentro do filme em "Pânico".

Freddy X Jason:
Ambas as séries pareciam relegadas ao passado, Freddy e Jason eram vistos como ícones de uma década enterrada. Até este filme. A New Line Cinema havia comprado os direitos da série "Sexta-feira 13" e produzido "Jason vai para o inferno" e "Jason X", como ultima aposta o estúdio atendeu aos pedidos dos fãs, recrutou o diretor Ronny Yu - que havia salvado a série "Brinquedo Assassino" e fez uma ode ao saudosismo.

Freddy X Jason tem de tudo: litros de sangue, mortes exageradas e dois confrontos entre os monstros mais queridos do cinema. A história? Freddy está esquecido, as autoridades baniram toda e qualquer informação sobre ele, inibindo assim os sonhos. Aqueles que sobreviveram foram exilados na clínica do terceiro filme, Krueger ressuscita Jason para iniciar uma matança e ficar com os créditos. porém Jason não para e "rouba" todas as vítimas de Freddy que parte para o confronto direto. Super divertido.

A Hora do Pesadelo - o remake: Lixo.
Compre os filmes aqui


2 comentários:

  1. Nossa, sempre tive medo do Freddy. Mas juro que tenho vontade de ver FreddyXJason. Quando a gente é criança tem medo de tudo...mal sabemos que os verdadeiros monstros estão na vida real. Bela postagem, muito interessante! Beijão! Att, Sabrina Gomes - (( Blog Spiderwebs < ))

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Thomas.
    Lembro que vi o primeiro A Hora do Pesadelo em 1985, e achei bem assustador.
    Pelo que eu soube, roubaram o personagem do Wes Craven depois que ele fez um sucesso inesperado, para tentar se vingar, Craven criou o filme Shocker, 100 o volts de terror, que não fez muito sucesso.
    Sem dúvida, Fredie é um marco na cultura pop oitentista, e sempre será lembrado por isso.
    Abraço,Thomas.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...