sábado, 29 de dezembro de 2012

Sexy Cosplay: Ryomou Shimei



Ryomou Shimei é uma personagem de Ikkitousen, um anime sensual, repleto de fan services. A Ryomou é uma das personagens mais populares e mais sensuais do anime. A “musa do tapa olho” é a única lutadora no grupo dos mais fortes de seu colégio: forte, fria e sádica Ryomou se veste como uma empregada francesa para o combate. Para saber mais clique aqui 


É sempre bom recapitular então ai vai uma revisão fast food do que é cosplay: O termo Cosplay vem da junção das palavras costume (roupa/fantasia/costume) e pay (brincar/jogar) atualmente o cosplay é a arte de se vestir e interpretar uma personagem que pode ou não estar ligada ao universo do anime e mangá. Para saber mais clique aqui



















































































O Cosplay Hentai

Mais uma vez recapitulando: A tradução para Hentai seria bizarro, mas é utilizado como termo pejorativo para perversões, como tudo a língua se transforma e o pejorativo virou adjetivo para a sexualidade. Agora junte as informações Cosplay Hentai. Para saber mais clique aqui
Atenção caso você não goste ou seja radicalmente contra o cCsplay Hentai não veja as fotos e deixe quem gosta se divertir.









































































































terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Calendário 2013


Já virou uma tradição: todos os anos o Blog “Os Deuses Mortos” trás um calendário para você. Como sempre basta abrir a imagem e copia-la em seu computador.

Desta vez são seis as modelos escolhidas, cada uma nos encanta por dois meses:
 
Cátia Carvalho: meses de Janeiro e Fevereiro

 
 
Marcela Mariusso: meses de Março e Abril
 
Priscilla Saravali: meses de Maio e Junho
 
 
Monique Luchese: meses de Julho e Agosto
 
 
Paula Rebello: meses de Setembro e Outubro
 
 
Anne Midori: meses de Novembro e Dezembro




sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Tubarão e E.T saem são lançados em Blu-ray


Em um intervalo de poucas semanas dois clássicos de Steven Spielberg foram lançados em nosso mercado de vídeo, no formato Blu Ray. O primeiro é uma obra carinhosa, que ressalta a beleza interior e a amizade; o segundo um dos filmes de terror mais eficientes já filmados. Embora aparentem diferenças ambos os filmes são muito parecidos:

E.T encantou parte de uma geração (e aterrorizou a outra metade que até hoje morre de medo de alienígenas) o filme é praticamente uma autobiografia do diretor. Spielberg foi abandonado pelo pai ainda garoto, o mesmo acontece com Eliot, o protagonista do filme, que encontra em E.T um substituto afetuoso.

Tubarão é a adaptação do romance homônimo de Peter Sencheley, onde um grande tubarão branco aterroriza uma pequena cidade praiana e temos um embate entre os interesses políticos e a preservação da vida. Não chega a ocorrer um banho de sangue, mas as cenas de ataque permanecem tensas até hoje, muito do suspense do filme foi um “acidente” pois o tubarão mecânico utilizado vivia falhando e Spielberg não teve outra alternativa senão investir no “o que assusta é o que não se vê”.

 O talento de Spielberg fica na construção das personagens, se no romance Tubarão o trio de protagonistas não se entendem o biólogo marinho e o xerife vivem em um ódio não revelado, incluindo uma passagem pelo adultério no filme os dois se dão bem logo de cara, tornando-se grandes amigos. No filme o xerife parte a caça do tubarão após ver seus filhos brincando na praia. Mais uma vez o tema paternidade volta para assombrar Spielberg.

Em E.T. O pequeno Eliot tenta superar a perca do pai através da imaginação, o universo infantil é mostrado com maestria, o pequeno alienígena e sua bicicleta voadora dão jus a este universo lúdico da infância, e quanto a Spielberg? Usar os filmes para superar uma dor que não passa não seria uma solução imaginativa?

Talvez a grande diferença entre os dois filmes seja o fator temporal: “E.T O Extraterrestre” envelheceu mal, fica claro que o pequeno alienígena é um boneco, mesmo as mudanças em computação gráfica não dão credibilidade aos efeitos da época, mesmo a cena mais famosa da película, aquela da bicicleta voadora, ela ainda emociona, mas está batida e as crianças podem não entender o que seus pais viram no filme.

Em contra partida “Tubarão” está tão atual como nunca, o visual anos 70 é marcante, porém são poucos os momentos em que estes detalhes realmente aparecem, a moda praia setentista também fica em segundo plano. Já o suspense gerado pelo tubarão está tão aterrorizante quanto no ano de seu lançamento.

As cenas no mar, onde os três protagonistas se conhecem melhor, a clássica música e o final ainda causam calafrios. Se comparado aos filmes de terror dos últimos 10 anos “Tubarão” supera a maioria deles com uma nadadeira nas costas.

Se o Blu Ray de “Tubarão” é um programa obrigatório o Blu Ray de “E.T – O Extraterrestre” é um programa para fãs do filme, caso contrário opte pelo bom DVD.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Kryscia Essenwanger de mamãe Noel


De uns tempos pra cá a fantasia de mamãe Noel vem assumindo uma posição privilegiada dentre as fantasias sexuais. Some a isto com o mês de Dezembro e a sexualidade vista de forma sadia e lúdica temos a mamãe Noel.

Para tal missão convocamos a modelo peruana Kryscia Essenwanger.

Kryscia tem 24 anos, modelo de descendência alemã e curvas latinas.
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Busto: 89 cm

Cintura: 65 cm

Quadril: 95 cm

sábado, 15 de dezembro de 2012

O futuro do Brasil: Um Mundo sem Crucifixos e o Nosso Natal


A notícia não é nova, mas estamos no mês ideal para nos lembrar dela: em Março deste ano o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul conquistou uma vitória época ao votar, em unanimidade, pela retirada dos crucifixos dos espaços públicos do poder judiciário gaúcho.

Na prática qualquer tribunal gaúcho fica proibido de ostentar um crucifixo. Por que esta notícia é importante? Você deve estar perguntando qual o problema em ter uma cruz pendurada na parede? Vamos começar pelo simples: pela constituição o Brasil é um estado laico:

Laico vem do latim laicus – comum ou ordinário: adjetivo, S. M. Que ou quem não pertence ao clero ou não fez votos religiosos = leigo, secular; Que não sofre influência ou controle da igreja.



A decisão de retirar os crucifixos dos tribunais gaúchos foi importante por separar nosso estado da religião. Porém o principal motivo é deixar claro que a religião não é mais um assunto tabu, podendo ser discutido. Quando não se discute um assunto este fica cada vez mais proibido, aumentando o poder daqueles que se protegem atrás da superstição e do medo.
Outro momento importante foi a tentativa de retirar a frase “Deus seja louvado” das cédulas de real, embora a proposta tenha sido negada, a final a superstição ainda é muito grande no Brasil o simples gesto de pedir a retirada do nome deste ser imaginário do nosso dinheiro é uma vitória. É uma forma de mostrar que não estamos calados e que nós, pessoas de pensamento independente, temos força.
Gosto muito de citar a definição que Richard Dawkins dá a Deus:
“O Deus do antigo testamento é talvez o personagem mais desagradável da ficção: ciumento, e com orgulho; controlador, mesquinho, injusto e intransigente; genocida étnico e vingativo, sedento de sangue; perseguidor misógino, homofóbico, racista, infanticida, filicida, pestilento, megalomaníaco, sadomasoquista, malévolo”.
Ao final temos a principal vitória, uma conquista silenciosa, que foi conquistada ao longo dos anos. O Natal! A chamada festa cristã tem cada vez menos influência religiosa, hoje em dia o natal tem mais a ver com Papai Noel do que com Jesus! E isso é ótimo.
Em seu início o natal era a celebração do deus sol, no solstício de inverno, comemorado pelos povos pagãos, depois que os cristão massacraram, violentaram e destruiram outras culturas para instituíram sua religião e seu deus como um tabu o cristianismo associou a festa do deus sol com Jesus. Um homem sábio, um grande pensador, que antecipou o pacifismo, porém nada santo.  



quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

A Gata negra ou Felícia, a maior conquista do aranha

A ideia de Stan Lee era criar um herói nerd, um fracote que vivesse ferrado e podemos dizer que ele conseguiu. O homem-aranha era um órfão, criado pelos tios, sofria bullying na escola, não fazia sucesso com as garotas. Quando finalmente ganhou superpoderes seu tio morreu fruto de sua negligência.
 
Atormentado pela culpa o amigo da vizinhança segue combatendo o crime, lutando contra a pobreza e as críticas de J. Jhona Jameson, já viu sua tia morrer (e voltar dos mortos) ficou viúvo, teve um clone, viu sua filha morrer, foi abandonado pela mulher e ufa! É muita desgraça para uma pessoa só.
 
Porém neste meio tempo o cabeça de teia também tornou-se um conquistador, ele já namorou Gwen Stacy (morta pelo Duende Verde), Mary Jane e claro a Gata Negra inspiradora deste post e uma das personagens mais sensuais da Marvel. Nada mal para um Nerd!



Gata Negra é o alter-ego de Felícia Hard. Inicialmente traduzida como Mulher-Gato, depois seu nome foi corretamente traduzido para Gata Negra evitando assim confusões.
Criada em 1979 a Gata Negra foi apresentada aos leitores em Amazing Spider Man no. 194 pouco depois da morte de Gwen, os leitores, ainda órfãos, receberam bem Felícia como a namorada do amigão do aranha, porém o casal não vingou porque Felícia estava apaixonada pelo herói, não por Parker.
A rivalidade com seu alter-ego apagou o fogo da paixão em Peter, fora que Felícia não é uma super-heroína poderosa, ela é um ser humano normal com algumas habilidades atléticas. Um romance público colocaria a moça em risco e todos nós sabemos como o cabeça de teia atrai desgraça.
Gata Negra Cosplay
Felícia nasceu em berço de ouro, seu pai era o ladrão de joias mais procurado do mundo, quando este foi preso a moça acreditou que ele havia morrido em um acidente de avião, sua mãe se recusou a dizer que ele era um ladrão. Não adiantou muito esconder a verdade. Quando soube que seu pai estava vivo esta loira (?) maravilhosa seguiu seus passos.
Sua primeira missão como Gata Negra foi para resgatar seu pai doente da prisão, acreditando que este deveria morrer em casa. A vida criminosa de Felícia seguiu até que ela conhecesse o amigo da vizinhança, os dois se enfrentaram algumas vezes criando uma situação interessante onde Parker fica dividido entre ouvir sua culpa que o obriga a ser um herói e seguir seu desejo, a gata acaba por se juntar ao aranha, atraída pelo herói, mas após quase ser morta pelo Dr. Octopus o cabeça de teia ser afasta dela para evitar que outra garota morra por sua causa.
Para quem não sabe o final do primeiro filme do amigão da vizinhança, onde o duende faz o aranha escolher entre Mary Jane e um ônibus cheio de crianças foi inspirado na morte de Gwen Stacy, nos quadrinhos o Homem-Aranha salva Stacy, mas a força da queda faz com que a moça quebre o pescoço.
Como é bom ser o aranha
Voltando para nossa anti-heroína, a Gata Negra não aceitou bem o “chute” e procurou o rei do crime para conseguir superpoderes, a moça foi enganada recebendo o poder de dar azar em quem ela toque. Felícia leva a extremos a máxima “mulher bonita é problema na certa.
Outro aspecto muito importante desta gata é seu fetiche, como eu já disse ela ama o Homem-Aranha, não Peter Parker. O que ela deseja é estar com alguém poderoso, como seu pai o maior ladrão de todos os tempos ou o amigo da vizinhança o maior herói Marvel, alguns dizem que ela se atrai pelo uniforme, eu acredito que ela deseja o poder.
O que mais doeu quando o aranha se afastou para que ela não morra não foi ser rejeitada, mas perder o poder do aranha. Se o Homem-Aranha é poderoso e ela seduz/controla o aranha então a Gata Negra é poderosa. Lógico que nada disto é consciente, ela fica excitada com o poder e a emoção e um cara como Parker nunca chamaria sua atenção.
Infelizmente ela anda meio esquecida no universo Marvel fazendo algumas pontas, a moça apareceu na animação do cabeça de teia dos anos 90 fora os rumores de uma participação no novo filme do herói “O Espetacular Homem-Aranha” de 2012 mas acabou sendo destaque no game “The Amazing Spider Man” do Nintendo 3DS  e ganhou uma personagem no jogo”Marvel Avengers Aliance” para Facebook.
 
 
 




 

 
 
 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Fala Lula: As pérolas do ex-presidente


 
Este é o primeiro post dedicado unicamente a reunir frases de lula, em diversas situações de sua vida, todas saídas diretamente da boca de nosso ex-presidente e devidamente referenciadas. 
O primeiro membro da família Inácio a entrar para o sindicalismo foi Frei Chico, irmão de Lula que tentou convence-lo a entrar para o movimento sindical:
"Eu lá tenho minha mãe na zona pra ir pra sindicato" (Lula - 1968) [1].
O diálogo completo dos dois irmãos:- Lula, vamos... vamos pro sindicato comigo, vem!
- Frei Chico, sindicato? Eu tenho minha mãe na zona pra ir pra sindicato?

- Mãe na zona? Quem disse que sindicato só da filho da puta?
- Todo mundo sabe Frei Chico, não precisa dizer...
- Você tá falando bobagem! Ô cara alienado...
- Eu? Alienado? Não enche o saco, Frei Chico. Deixa eu assistir minha novela.
- Novela, Lula?
- É bem melhor ver novela do que encher linguiça no sindicato
 
Este diálogo foi reproduzido por Denise Paraná por seu livro "A História de Lula: O Filho do Brasil", página 86 editado pela editora Objetiva em 2009 [1]

 

"Não sou candidato, não sou filiado a partido político, não tenho intenção de me filiar, não tenho intenção de ser candidato, embora alguns companheiros, amigos até, benevolentes, achem que eu seja um grande candidato. Mas não sou candidato, não tenho interesse. O meu interesse por enquanto é fazer um trabalho sério na frente do sindicato" (Lula em entrevista concedida para o programa Vox populi da TV Cultura em 1978) [1].

 


"O sindicalismo só é forte onde existe a ganância do poder, a ganância de ganhar bem, a ganância de participação. Só é forte nos países capitalistas" (Lula em entrevista concedida para o jornalista Ruy Mesquitapara a revista Senhor Vougue em 1978) [1].

 

"A situação da classe trabalhadora, para ser resolvida, independe da criação de um partido político" (Lula em entrevista concedida para o jornalista Ruy Mesquitapara a revista Senhor Vougue em 1978) [1].

 

“Eu levaria o Zé Dirceu para o palanque, até porque nada foi provado contra ele” (seis dias depois de Dirceu ter seu mandato caçado, em 07/12/2005) [2].


“Eu não acredito que haja qualquer evidência de que Dieceu cometeu o crime de que ele é acusado” (em entrevista ao jornal The New York Times em 23/09/2007) [2].

 
“As pessoas que erraram, a gente não tem que execra-las. Errar é humano (em jantar  do 26° aniversário do PT, defendendo seus cumpanheros acusados no mensalão em 13/02/2007) [2].

“O Brasil é um país jovem, com uma juventude muito jovem” (em defera do Rio de janeiro como sede das olimpíadas de 2014 em 07/07/2009) [2].


“A política é como uma boa cachaça: você toma a primeira dose e não tem como parar mais. Só quando termina a garrafa” (em entrevista para o livro “Lula, o filho do Brasil em 2008) [2].

 

“Todo mundo tem o direito de ser contra, a favor ou muito pelo contrário” (na abertura da 44° reunião da Frente Nacional de Prefeitos em 06/05/2003) [2].

 

“Tenho uma preguiça desgramada de andar em esteira e de ler livros” (15/05/2004 durante a abertura da 18° Bienal Internacional do Livro de São Paulo) [2].

 

 

[1] PINTO, José Nêumane: O que sei de Lula. Rio de Janeiro: Topbooks, 2011.

 

[2] TAS, Marcelo: Nunca antes na história deste país. São Paulo: Panda Books, 2009.


"Os Deuses Mortos" Sete Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...