Oito Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

domingo, 9 de dezembro de 2012

Fala Lula: As pérolas do ex-presidente


 
Este é o primeiro post dedicado unicamente a reunir frases de lula, em diversas situações de sua vida, todas saídas diretamente da boca de nosso ex-presidente e devidamente referenciadas. 
O primeiro membro da família Inácio a entrar para o sindicalismo foi Frei Chico, irmão de Lula que tentou convence-lo a entrar para o movimento sindical:
"Eu lá tenho minha mãe na zona pra ir pra sindicato" (Lula - 1968) [1].
O diálogo completo dos dois irmãos:- Lula, vamos... vamos pro sindicato comigo, vem!
- Frei Chico, sindicato? Eu tenho minha mãe na zona pra ir pra sindicato?

- Mãe na zona? Quem disse que sindicato só da filho da puta?
- Todo mundo sabe Frei Chico, não precisa dizer...
- Você tá falando bobagem! Ô cara alienado...
- Eu? Alienado? Não enche o saco, Frei Chico. Deixa eu assistir minha novela.
- Novela, Lula?
- É bem melhor ver novela do que encher linguiça no sindicato
 
Este diálogo foi reproduzido por Denise Paraná por seu livro "A História de Lula: O Filho do Brasil", página 86 editado pela editora Objetiva em 2009 [1]

 

"Não sou candidato, não sou filiado a partido político, não tenho intenção de me filiar, não tenho intenção de ser candidato, embora alguns companheiros, amigos até, benevolentes, achem que eu seja um grande candidato. Mas não sou candidato, não tenho interesse. O meu interesse por enquanto é fazer um trabalho sério na frente do sindicato" (Lula em entrevista concedida para o programa Vox populi da TV Cultura em 1978) [1].

 


"O sindicalismo só é forte onde existe a ganância do poder, a ganância de ganhar bem, a ganância de participação. Só é forte nos países capitalistas" (Lula em entrevista concedida para o jornalista Ruy Mesquitapara a revista Senhor Vougue em 1978) [1].

 

"A situação da classe trabalhadora, para ser resolvida, independe da criação de um partido político" (Lula em entrevista concedida para o jornalista Ruy Mesquitapara a revista Senhor Vougue em 1978) [1].

 

“Eu levaria o Zé Dirceu para o palanque, até porque nada foi provado contra ele” (seis dias depois de Dirceu ter seu mandato caçado, em 07/12/2005) [2].


“Eu não acredito que haja qualquer evidência de que Dieceu cometeu o crime de que ele é acusado” (em entrevista ao jornal The New York Times em 23/09/2007) [2].

 
“As pessoas que erraram, a gente não tem que execra-las. Errar é humano (em jantar  do 26° aniversário do PT, defendendo seus cumpanheros acusados no mensalão em 13/02/2007) [2].

“O Brasil é um país jovem, com uma juventude muito jovem” (em defera do Rio de janeiro como sede das olimpíadas de 2014 em 07/07/2009) [2].


“A política é como uma boa cachaça: você toma a primeira dose e não tem como parar mais. Só quando termina a garrafa” (em entrevista para o livro “Lula, o filho do Brasil em 2008) [2].

 

“Todo mundo tem o direito de ser contra, a favor ou muito pelo contrário” (na abertura da 44° reunião da Frente Nacional de Prefeitos em 06/05/2003) [2].

 

“Tenho uma preguiça desgramada de andar em esteira e de ler livros” (15/05/2004 durante a abertura da 18° Bienal Internacional do Livro de São Paulo) [2].

 

 

[1] PINTO, José Nêumane: O que sei de Lula. Rio de Janeiro: Topbooks, 2011.

 

[2] TAS, Marcelo: Nunca antes na história deste país. São Paulo: Panda Books, 2009.


Um comentário:

  1. Quantas contradições..gostei da publicação e fiquei curiosa sobre como voce encontrou esse material..rsrs

    Beijos.

    ResponderExcluir

"Os Deuses Mortos" Oito Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...