sábado, 15 de novembro de 2014

Another


Quem será o outro?

Quando se parecia que o universo dos animes ameaçava ficar em uma mesmice surge uma singela série de 12 episódios sinistra, envolvendo mortes e mistério, sem cair em clichês de fantasmas com aparência leve, que nos leva de volta ao passado e atrai a juventude. Não tem como não gostar de Another.
A série começa com Sakakibara Kouichi, de 15 anos, mudando-se para a pequena cidade de Yomiyama – uma típica cidade interiorana, onde a vida é simples, as pessoas são gentis umas com as outras, não por uma obrigação social, mas porque elas realmente são educadas, uma típica cidade onde os vizinhos se conhecem, pacífica e onde ninguém desconfia do outro. Um paraíso, ou quase...
Sakakibara começa o anime internado, ele possui uma enfermidade nos pulmões, e por isso perde o começo das aulas. Em uma das noites tediosas no hospital o rapaz encontra uma garota usando tapa olho e o uniforme escolar indo para o necrotério.
Pouco depois Sakakibara recebe alta, uma vez em sua nova escola o rapaz encontra a garota em sua classe, aparentemente mais ninguém consegue vê-la.
Conforme os dias vão passando Sakakibara sente-se em casa, a pesar dele ser um aluno transferido, que irá embora para Tóquio no outro ano, seus colegas de classe o tratam como se ele sempre tivesse estudado com eles. Porém Sakakibara sente algo estranho no ar, algo que ele não consegue identificar e os outros alunos evitam tocar no assunto visivelmente assustados.
Curioso (ou seria apaixonado?) o rapaz aproxima-se da garota do tapa olho, resistindo a seus avisos “é melhor você não se aproximar de mim”. Sua teimosia é maior, caso contrário não haveria anime, ele descobre que a garota chama-se Misaki. Sakakibara descobre outras coisas.
Vinte e seis anos atrás na mesma classe que Sakakibara estuda, a terceira sala do nono ano, havia uma garota chamada Misaki, ela era a mais popular da escolas as meninas admiravam sua delicadeza e humanidade, os homens se enamoravam por sua beleza e os professores admiravam sua dedicação e capacidade para um futuro brilhante. Então Misaki faleceu, todos ficaram arrasados, tomados pela dor os alunos passam a fingir que Misaki continua viva, o professor responsável embarca na farsa – tudo corre bem atá o dia da formatura, onde ocorrem mortes estranhas.
Misaki personagem envolta em mistérios
Desde este dia passam a ocorrer estranhos fenômenos todos os anos na terceira sala do nono ano. Uma vez por mês um aluno, ou um de seus familiares, sofre uma morte estranha, ao final de cada ano percebe-se que havia um aluno a mais, um morto (um espírito) que frequenta a sala de aula como um ser vivo. Incapaz de saber quem é este outro os alunos e professores tomam uma decisão drástica a cada ano um aluno é sorteado e passa a não existir assim a conta de alunos pode bater e a realidade fica costurada.
A ideia pare ingênua e apresenta alguns furos graves, como uma escola pode ignorar a existência de um aluno que tem por lei o direito de aprender? Faz sentido que adolescentes de 15 anos façam tais farsas, mas professores, cuja ideologia é ensinar, jamais ignorariam um aluno escolhido ao acaso, ainda mais apoiados em uma superstição. Acreditem o roteiro é tão bom que esses furos passam despercebidos, os acontecimentos são tão envolventes que você passa a concordar o aluno inexistente é a melhor maneira de lidar com a existência deste outro.
Conforme Sakakibara aproxima-se de Misaki mortes acidentais começam a acontecer, todas muito bem feitas, na medida certa entre a sutileza e o gore temos mortes violentas e aflitivas porém sem mostrar demais. Outra virtude do anime é transplantar o espectador para a terceira sala do nono ano. Você sente-se um aluno, em um primeiro momento fica revoltado com a escolha do aluno inexistente, conforme o tempo passa vai se acostumando com os alunos, se apega a eles, tem seus preferidos, fica apreensivo com a investigação de Sakakibara, emociona-se com sua amizade com Misaki. A cada episódio um aluno morre é impossível não ficar temeroso/ansioso para saber quem é. Tudo isso em 12 episódios.

O anime é repleto de mistérios. Misaki tem alguma coisa a ver com a Missaki motra 26 anos atrás? Quem é o morto? Existe uma maneira de parar a maldição, porém ela é pior do que a maldição em si. Tudo que uma boa história de terror precisa, fugindo dos clichês de fantasmas cabeludos, aparições atrás do protagonista e câmera em primeira pessoa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Os Deuses Mortos" Sete Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...