Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

sábado, 24 de outubro de 2015

Paranapiacaba Uma Cidade Assombrada no Interior de São Paulo



Também conhecida como Silent Hill brasileira a pequena cidade de Paranapiacaba acumula histórias aterrorizantes e pontos turísticos macabros. O clima serrano contribui muito com sua mata fechada e nevoeiro.

Um pouco de história

Paranapiacaba foi fundada em 1967 por ingleses com o intuito de implantar a malha ferroviária do Estado de São Paulo – funcionários e engenheiros construíram casas para morarem dando origem a uma pequena vila que tornar-se-ia a cidade.
Com o passar dos anos e a decadência dos transportes ferroviários as famílias inglesas voltaram para sua terra natal levando, inclusive, os restos mortais de seus parentes mortos abandonadas as casas que foram absorvidas pelo tempo.
Nos anos trinta as ferrovias foram integradas a malha ferroviária do Estado a FEPASA porém a cidade foi se degradando lentamente até o então prefeito de Santo André Celso Daniel adquirir a vila histórica – Celso Daniel foi assassinado anos depois.

Locais assombrados:
 

O Castelinho

Um dos principais pontos turísticos da cidade, hoje transformado em museu, o Castelinho, foi moradia do engenheiro chefe das ferrovias, Daniel Fox, construído no alto da vila em local estratégico permitia que o engenheiro tivesse visão do pátio de manobras e controle dos trens que chegavam.
Por ficar no alto da vila e ser apelidado de castelo (devido sua arquitetura) a casa do engenheiro prendeu a atenção dos moradores da época (e de hoje) tornando-se o ponto mais importante de vila e passando a impressão de controle. O mesmo foi feito em bairros antigos onde uma igreja era erguida no ponto mais alto e a cidade crescia envolta.
Ainda hoje existem histórias de que Fox abitaria a casa – temos relatos de madeira rangendo e louça sendo manipulada - Fox um homem de quase dois metros de altura tinha o hábito de descer as escadas e tomar café na cozinha, usando xícaras de louça, seu espírito manteria velhos hábitos - guias turísticos se aproveitam do imaginário popular e da vontade dos turistas de conhecerem histórias macabras e repassam essas histórias. A demonstração de poder do engenheiro inglês e o constante fog da região assustam os moradores.

Túnel dos Mortos

Quando os ingleses construíam a ferrovia eles tiveram que escavar um túnel para passagem dos trens, na época usava-se mão de obra escrava e as condições de segurança eram muito precárias. Acredita-se que muitos trabalhadores morreram durante a escavação.
Porém a lenda de assombrado paira sobre outro evento – após a construção do túnel os escravos foram massacrados e emparedados no túnel – não existe documentação sobre o caso apenas as histórias populares, valendo-se da lógica escravagista não seria nenhum absurdo o massacre dos escravos. Quando sua mão de obra não fosse mais necessária os escravos eram descartados ainda mais em um local de difícil acesso como aquela cidade.
O uso de escravos como reboco na parede também não é de se surpreender dada às noções de direitos humanos da época.
Moradores dizem ser possível escutar os espíritos dentro do túnel, em especial a meia noite, em parte fica fácil de entender a noite tudo fica ampliado e nossa imaginação ouve o que quer, construções antigas favorecem a imaginação e ruídos estranhos, assim como a infiltração de água dentro de paredes rochosas.
Uma das histórias provavelmente real foi o rompimento de um cabo de aço dentro do túnel, usado nos trilhos que estourou, devido a baixa qualidade rasgando vários operários que compões os inúmeros mortos do túnel.

Existem muitas outras histórias envolvendo a cidade como relatos de acidentes na instalação da malha ferroviária e acidentes envolvendo trens – muito comuns na época. Mais histórias macabras:
Em 1981 a estação principal construída pelos ingleses pegou fogo, apenas o relógio ao estilo inglês foi poupado pelas chamas, à estação havia sido desativada em 1977. A linha ferroviária que liga Santos a Jundiaí passa pela estação da Luz, em São Paulo, também sofreu com um incêndio em 1946, suspeita-se de incêndio criminoso, mas sem provas.
Entre as décadas de 1950 e 1960 um vigia que guardava os trilhos e prédios históricos o homem batia três vezes no fundo das casas dos moradores perguntando se estava tudo bem, o morador deveria devolver as três batidas – em uma noite ele foi assassinado, sem que se tenha descoberto o responsável, ainda hoje moradores relatam ouvir as três batidas do fantasma do vigia.
Um dos prédios mais bonitos é o Clube da União Lyra Serrano onde acredita-se existir o espírito de uma bailarina que sapateia a noite. O clube habitaria outro fantasma um homem de preto usando chapéu que pode ser visto anoite parado na janela.
O caminho mais curto para a parte nova da cidade é por trás do castelinho a rota leva o nome de um dos engenheiros ingleses a trilha do Mens os moradores recomendam que o mesmo seja evitado, se a pessoa não tiver escolha ela deve faze-lo cantando para espantar os espíritos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...