Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

sábado, 28 de novembro de 2015

Comemoração dos 20 anos de Evangelion




Uma data como essas não pode passar em vão, principalmente em um época de produções descartáveis Evangelion prova ser atemporal e fundamental para a cultura Pop mundial. Nesse trago a vocês as comemorações no Japão e no mundo sobre os 20 anos de Neon Genesis Evangelion.

Smartphones de Evangelion

A Sangung caprichou e mostrou como se faz um produto voltado aos fãs: após ouvir a opinião de trinta mil pessoas a empresa desenvolveu um Smartphone especial tendo como base o designer o EVA-01 – suas cores foram utilizadas no modelo com o desenho do EVA atrás.
Os fãs ainda puderam escolher a voz de ajuda (aquela voz do tutorial e comando do celular) a escolhida foi Asuka, será que ela dá bronca nos usuários inexperientes? Nada como uma empresa
eva-phone1
que leva os fãs a sério e respeita seu público.
O celular custa cerca de 78.000 yen aproximadamente US$ 649.00 um preço justo por um material comemorativo.

Carro Evangelion

Achou o Smartphone interessante? Que tal dirigir um carro baseado em seu anime favorito? Estou falando do “7-Eleven Limited Mitsuoka Motors Evangelion Orochi” vendido pela 7-Eleven e desenvolvido pela Mitsuoka Motors o carro foi desenhado por Ikuto Yamashita o designer mecânico de Evangelion – simplesmente o cara que criou os EVAs. Gostou? O carro custa a bagatela de 16 milhões de yen ou R$ 350.000 aproximadamente mais os impostos para importação.
 





EVA 01 de Seis Metros de Altura

Quem estiver passando por Shizuoka pode visitar uma réplica de seis metros de altura da unidade 01 sendo exposta Expasa Ashigara SA a exposição faz parte da comemoração e poderá ser visitada até 23 de Dezembro desse ano.
A exposição já recebeu cerca de dois milhões de visitantes e conta com um restaurante temático e uma loja de lembranças.
Ainda temos estátuas em tamanho real das personagens e da lança de Longinius e a exposição do carro, para quem tiver uma grana sobrando.

Azul Ayanami?

A empresa Turner Colour Works lançou uma pintura especial para celebrar o vigésimo aniversário de Evangelion, sim você acertou, o tom de cor de Rei Ayanami o “Ayanami Blue”.
O tom é uma mistura de duas cores já existentes o azul gelo e o azul das águas quentes. Agora os fãs já podem ter uma parede pinta da cor do cabelo da Rei. A pintura segue uma lata customizada e um cartão comemorativo.

Lingerie temática Evangelion

Lingerie EVA
Quer ficar sexy como rei, Asuka ou Marie? A emprese Super Groupies lançou uma linha especial de lingeries inspiradas nas garotas de EVA em três cores – branca dom detalhes em azul claro para Rei, vermelha para Asuka e branca com detalhes em roxo para Marie. O produto será vendido apenas em Dezembro, mas já está em pré-venda custando 8.800yen cada (cerca de R$ 245.00 cada).

Ida a Lua

Provavelmente o projeto mais louco e ambicioso envolvendo os 20 anos de Evangelion: “Project to Pierce the moon with the spear of Longinus” ou em bom português: Projeto para perfurar a lua com a lança de Longinus.
Quem assistiu ao anime deve lembrar-se do episódio em que um anjo pairando na atmosfera terrestre invade a mente de Asuka a qual é salva pela Rei matando o anjo com a lança de Longinus. Como consequência a lança é atraída pela gravidade da lua ficando cravada na superfície. Bom os japonese pretendem entre o final desse ano e começo de 2016 criar uma réplica dessa lança e envia-la a lua. Para isso eles precisam de um milhão de dólares.

Basicamente com esse milhão eles lançariam um foguete o qual entraria na órbita da lua com um canhão acoplado. O canhão dispararia a lança perfurando a superfície de nosso satélite;
Infelizmente até o momento eles conseguiram apenas 54% do dinheiro necessário, seria muito divertido ter a lança de Longinus fincada na lua.

Visite o site oficial do projeto aqui.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Conta Milionária de Lula na Suíça pode Comprovar Recebimento de Propina

Definitivamente a família Lula da Silva não terá um final de ano tranquilo após ver seus filhos investigados pela polícia federal link aqui Lula teve conta na suíça revelada por investigação da polícia federal:
O ministério da Fazenda possui um órgão denominado Coaf – Conselho de Controle de Atividades Financeiras, responsável por investigar a lavagem de dinheiro no Brasil. Com os escândalos do Petrolão e seus desdobramentos a Coaf começou a investigar quatro caciques petistas: Lula (ex-presidente da república), Antonio Palocci (ex-ministro da casa Civil de Dilma e operador da campanha presidencial de 2010), Erenice Guerra (Ex-ministra da Casa Civil no governo Lula) e Fernando Pimentel (ex-ministro de Lula e operador da campanha eleitoral de 2010).
A Coaf produziu um relatório de 23 páginas, registrado como Relatório 18.340 – a qual a revista Época teve acesso afirmando que Lula possui cinquenta e três milhões de reais em conta na suíça, o mesmo relatório diz que o ex-presidente não possui formas de comprovar todo esse dinheiro.
Segundo Uol post link aqui o salário recebido por Lula enquanto presidente não é suficiente para justificar tal valor. Seu salário mensal foi de R$ 13.000 (treze mil reais) ao final dos oito anos de mandato Lula somou R$ 124.000 (cento e vinte e quatro mil reais) mesmo se não gastasse um único centavo Lula não chegaria nem perto desse valor.
Ao todo foram investigadas contas bancárias e aplicações financeiras de 103 pessoas e 188 empresas ligadas aos quatro petistas o valor somado resulta em quase meio bilhão de reais.

Delação Premiada:

Em reportagem de quatro de julho deste ano a revista Veja denunciou o uso de conta na Suíça que abasteceu a campanha de Lula em 2006, na época Lula tinha apenas R$ 62.000 ganhos como presidente e não contava com palestras dadas ao redor do mundo. Link aqui.
Quem entregou o ouro foi Ricardo Pessoa em delação premiada – vale lembrar Pessoa foi preso com outros empreiteiros, na cadeia recebeu cartas ameaçadoras em tom infantil link aqui uma vez solto Pessoa “abriu a boca”, revoltado por ter sido abandonado e empreiteiro entregou Lula.
Pessoa disse que as empreiteiras UTC, Iesa, Queiroz Galvão e Camargo Corrêa venceram licitação para construção de plataformas de petróleo parte da verba recebida foi utilizada para pagar propina ao governo, o mesmo dinheiro foi utilizado para pagar a campanha de Lula disfarçado de doações somando um total de 2,4 milhões de reais.

Importante ressaltar que o relatório da Coaf apenas levanta dados cabe a polícia federal investigar se os valores nas contas petistas são ou não lícitos e caso contrário, sua origem. 

domingo, 22 de novembro de 2015

Adriana Cardona

Não é de hoje que mulheres colombianas vêm ocupando espaço no imaginário masculino, com tantas beldades fica difícil escolher uma, mas aceitamos a árdua tarefa e trazemos para você Adriana Cardona.
Natural da cidade de Cali essa belezura de 23 anos e curvas hipnóticas – a moça diz adorar música eletrônica e define-se como espontânea e muito feliz. Atualmente ela incrementou seu currículo como bailarina e playmate.
Ela gosta de se relacionar de igual para igual com os homens, nada de curtir ser dominada na cama, independente gosta de mostrar o corpo e fazer musculação.

Perfil
Busto: 90 cm
Cintura: 60 cm

Quadril: 90 Cm






sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Enquete Preferência Nacional


Essa é uma eleição às cegas para escolher a próxima gata do mês de janeiro onde você deve votar “as cegas” apenas pela preferência nacional sem saber o nome da moça tornando assim a eleição mais justa.

Enquete Encerrada o resultado você vê em Janeiro

Resultado:
1 Aline Bernardes – 38%
2 Monique Amim – 69%
3 Gabriela Paganini – 15%

4 Luciane da Mata – 23%

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Paris 13/11/15 Mais uma vítima da Religião

“Em janeiro de 2006, apresentei um documentário em duas partes na televisão britânica (Channel Four) chamado root of all evil? (Raiz de Todo o Mal?). desde o começo não gostei do título. A religião não é a raiz de todo o mal, pois não há nada que possa ser a raiz de tudo, seja lá o que tudo for. Mas adorei o anúncio que o Channel Four publicou nos jornais nacionais. Era uma foto da silhueta dos prédios de Manhattan com a legenda ‘Imagine um mundo sem religião’”.
O trecho a cima foi retirado do livro “Deus, um Delírio” escrito por Richard Dawkins o qual discuti os malefícios da religião e principalmente o direito a liberdade em não acreditar. Estamos acostumados a ouvir que religião é uma coisa boa e rezar é necessário. Muitos estão dizendo “reze por Paris”. Eu pergunto a essas pessoas devo orar para o Deus que causou esses atentados ou para o Deus que não fez nada para impedi-los?
O Estado Islâmico também conhecido como ISIS nasceu da Al-Qaeda e fazem sua interpretação do islamismo cujo objetivo é promover o apocalipse. Segundo as escrituras um grande exército estrangeiro virá do nordeste da Síria iniciando uma batalha contra um exército islâmico – os invasores serão destruídos, seguidos pela vinda do Messias chamado Mahdi que irá matar todos os não muçulmanos. Diferente de outros grupos terroristas de motivação política o ISIS almeja um mundo liberto de não muçulmanos.
Então esses post é contra os muçulmanos? Não é contra a religião em geral. Napoleão Bonaparte afirmou: “Guerras religiosas são, basicamente, pessoas se matando para decidirem quem tem o melhor amigo imaginário”. É justamente essa lógica mágica que provocou o atentado contra Paris. A sexta-feira 13 deu continuidade aos ataques contra a revista Charlie Hedbo o motivo? Cartunistas desenharam Maomé. A pura e simples liberdade de expressão foi vista como ofensiva pelo ISIS. Tal qual muitos cristãos gritam ofendidos a qualquer brincadeira com sua religião “com Deus não se brinca”. O atentado terrorista desse mês não possui motivações políticas, apenas religiosas.
Dessa vez foram os extremistas islâmicos, mas já tivemos cristão massacrando muçulmanos nas cruzadas, budistas e xintoístas massacrando cristãos no Japão, cristão destruindo a história deturpando símbolos pagãos na Escandinávia e no Egito, católicos e protestantes se odiando na Irlanda, judeus perseguidos pelo mundo e obrigados e criar um estado próprio. A lista é extensa.
Um dos temas mais importantes levantados por Dawkins em seu livro é: a religião merece respeito, o mesmo respeito que damos a qualquer outro assunto. A religião não deve ser tratada de maneira diferente ou cautelosa. Essa visão cria tabus e tabus trazem grandes consequências. Se não houvesse religião os mortos de Paris estariam vivos hoje. Portanto não reze por Paris, aquelas pessoas morreram porque muita gente reza mundo afora.


sábado, 14 de novembro de 2015

GTO 2012 - Onizuka Segue Sendo Um Grande Professor

GTO é um dos mangas/animes mais queridos dentre os fãs aqueles que leram/assistiram sonham em ter um professor como ele. A ideia é simples: imaginem um professor empático que ame seus alunos e acima de tudo quer ser amigo e ensinar que estar vivo pode ser uma coisa muito boa.
Não é difícil elencar produções semelhantes, a finada sessão da tarde exibia filmes com a mesma temática: Robin Willis provou todo o seu talento em filme semelhante “Sociedade dos Poetas Mortos”. A lista é extensa e mesmo todos esses professores maravilhosos não se aproximam de Onizuka.
Eikichi Onizuka é famoso em todo o Japão, não por suas aulas, mas por ser o líder de motoqueiros mais temido do país seus rivais costumavam compara-lo a um demônio, aos 22 anos o rapaz vive de bicos, mora com seus dois melhores amigos e companheiros de gangue, e se ressente pela maneira como era tratada pelos professores em seu tempo de estudante.
Em termos gerais essa é a apresentação que qualquer artigo traria sobre esse grande professor, este post em específico é dedicado à série de 2012. Já falamos sobre GTO no Blog e você pode ler o post clicando aqui. E sobre Kanzaki Urumi, uma de suas queridas alunas, aqui. Porém como sou legal farei um breve resumo.

Início

GTO é um mangá de Tohru Fujisawa publicado dentre 16 de maio de 1997 e 17 de Abril de 2002 sendo sequencia de outro mangá onde Onizuka era líder da gangue de motoqueiro. Logo no primeiro volume encontramos nosso protagonista sem rumo na vida, vivendo de subempregos sonhando em ser um “grande homem” até uma noite onde encontra uma colegial triste e sem rumo na vida. Ao ajuda-la Onizuka vê no vínculo dessa garota com seu professor e entende que este é um caminho para fazer a diferença na vida de alguém.
Em 1998 GTO foi transformado em um Dorama ou J-drama (uma novela ou minissérie) com atores interpretando personagens do mangá. O resultado final ficou muito bom à série é engraçada e afetiva tal qual a obra original os atores se destacam principalmente Sorimachi Takashi que interpreta Onizuka. O seriado foi tão bom que ganhou dois filmes feitos para a TV com histórias originais. De quebra Sorimachi encontrou uma esposa ele casou-se com a também atriz Matsushima Nanako que interpreta a professora Fuyutsuki seu “interesse amoroso” – mais conhecida como a protagonista de “Ring o Chamado” terror japonês de 2002.
GTO virou anime no ano de 2000 totalizando 43 episódios muito fiéis à obra original a animação abrange quase todo o mangá, parando um pouco antes e, portanto com final diferente. Mesmo assim é um ótimo divertimento comparado ao Dorama é muito mais fiel mesmo porque é difícil resumir 25 volumes em 12 episódios. As personagens são melhores desenvolvidos e apropria mídia favorece um Onizuka mais louco e ridículo – ele dá aulas fantasiado e fuma na frente de seus alunos.

GTO de 2012

GTO de 1998 marcou época alguns de seus atores ficaram bem famosos, sua trilha sonora é um capítulo a parte a canção de abertura “Poison” resume o clima da série onde desconfiança, abandono e um coração raivoso são venenos enquanto a amizade é tido como antídoto.
Então porque realizar um remake? A primeira coisa a se saber a série de 2012 não é um remake, mas outra versão para a mesma obra, outro ponto a série foi feita em 1998 apenas um ano depois do mangá começar a ser publicada e quatro anos antes dele terminar, muita coisa foi deixada de lado, alguns dos momentos mais importantes não foram filmados (porque não tinham sido escritos) e algumas personagens foram condensadas – dois ou mais
personagens do mangá foram transformados em um.
A condensação é a principal queixa dos fãs a versão de 2012 veio corrigir essa falha e tenta ser fiel a obra, uma tarefa difícil pois deve-se resumir os 25 volumes em 11 episódios. Outro objetivo é apresentar a toda uma nova geração uma obra que além de divertir passa uma mensagem importante. A escola deve ser um lugar gostoso onde alunos e professores sintam-se em casa – pode parecer obvio mas já ouvi professores brasileiros recebendo instruções de diretores e coordenadores para não sorrirem em sala de aula para manter os alunos em seus lugares.
Outra diferença está no tom à série de 1998 é estritamente uma comédia que te insere no mundo de GTO. Ao final de cada episódio você sente como se fosse um aluno; a versão de 2012 mantém o clima saudosista/amigável e você tem vontade de chamar Onizuka para uma cerveja porém a série mistura elementos de humor com tons dramáticos e momentos de ação em quase todos os episódio nosso professor arranja briga e bate em alguém.
Outra diferença fundamental está nos protagonistas: Takashi Sorimachi é um ator/cantor extremamente simpático ele cria um Onizuka ingênuo (para não escrever burro) impulsivo capaz de tudo por seus alunos características semelhantes ao Onizuka de Akira também ator/dançarino seu Onizuka é menos ingênuo e mais alegre.
O Onizuka de 1998 é bem menos ético ele pede dinheiro para seus alunos e mais relaxado permitindo que eles apanhem ou se estrepem apenas para aprenderem uma lição, já a versão de Akira jamais permitiria que um aluno seu sofresse assim, preferindo convence-lo pelo afeto ele é um pouco mais centrado.
Por sua vez as duas versões são relaxadas Takashi cria um Onizuka bufão usando terno (muito) folgado com regada e poses cômicas um perfeito idiota já
Akira volta-se para a delinquência usando coletes e roupas próximas ao modelo Punk sua postura é mais séria. Akira tingiu seu cabelo de loiro ficando mais parecido com a personagem. Outra diferença: Takashi é um galã já Akira se esforça para ser feio.
Chegamos à versão de 2012 começa com Onizuka o grande jardineiro! Após ser indicado para o emprego nosso protagonista vai a uma escola podar as árvores lá ele vai ao refeitório onde conversa com a servente sobre seus tempos de escola – como aquele lugar deveria ser divertido e como os professores humilham os alunos o chamando de lixo.
A conversa é interrompida por três alunos expulsos que invadem a escola com tacos de basebol procurando pelo vice-diretor, o responsável por suas expulsões, esperto e covarde o homem esconde-se atrás de Onizuka ofendendo ainda mais os garotos! O então jardineiro nocauteia o covarde e lhe dá uma lição de moral “nunca chame seus alunos de lixo”.
Novamente desempregado Onizuka percebe que um dos alunos tentava suicídio descobrindo que ele sofre bullying de uma amiga de infância – a garota tem uma história triste e desconta no rapaz tímido, Onizuka torna-se amigo dele e o ajuda a acertar as coisas. É apenas no final do primeiro episódio que Eikichi é surpreendido pela tia da cantina, ou melhor, a diretora da escola que gosta de trabalhar na cantina para ficar próxima a seus alunos.
Onizuka é contratado para ser o professor responsável pela classe 2/4 a classe problema onde nenhum professor consegue ficar pouco tempo todos se demitiram após sofrerem muito. A série engloba os esforços de Onizuka em cuidar das feridas emocionais de seus alunos ensinando que os amigos são aqueles que ajudam e cuidam um dos outros tornando a vida um lugar melhor.

Alunos da sala 2/4

Segue um breve resumo dos alunos mais terríveis da escola, cada um deles possui um passado sofrido:

Anko – primeira aluna a ser ajudada por Onizuka e uma das grandes ausências na versão de 1998 a garota veio de berço pobre e viu seus pais enriquecerem, o problema é que enquanto eles enriqueciam os mesmos se distanciavam a garota passa a viver em um mundo frio e após ser abandonada por seu amigo opta pelo bullying. Atriz: Yua Shinkawa.

Noboru – garoto tímido que sofre bullying de Anko conhece Onizuka após tentar cometer suicídio, foi ele que abandonou Anko: a garota estava sendo assaltada e ele fugiu por isso não reage aos abusos e sente-se culpado. Apanhar é uma forma de compensar pelo que fez. Ator: Taishi Nakagawa.

Miki – Outra ausência de 1998, filha de um eminente delegado que visa apenas sua carreira. Após a morte de sua mãe seu pai afastou-se cada vez mais, na série a garota falta sempre as aulas e fez Onizuka ser preso duas vezes, mesmo assim ele nunca desistiu de sua aluna e tornou-se amigo dela. Atriz: Mariya Nishiuchi.

Kikushi – Menino gênio por ser muito inteligente ele considera-se acima dos demais e afirma odiar Onizuka por seu jeito humano de ser. O rapaz só valoriza a inteligência ou seja o extremo oposto de Onizuka. Ele aproxima-se do professor ajudando esse a encontrar Miki apenas pelo desafio. Ator: Sho Takada.

Kanzaki Urumi – A principal ausência da série de 1998 Urumi é a melhor personagem criada por Fujisawa depois de Onizuka – menina gênio perdeu a confiança nos professores e por ser muito inteligente não se encaixa em nenhum lugar. No mangá a garota apaixona-se por Onizuka. Uma diferença no mangá/anime a menina esteve ausente entrando na metade do ano após ter sua amizade conquistada por Onizuka. Aqui ela frequenta as aulas desde o primeiro dia Atriz: Tsubasa Honda.

Murai – Praticamente um delinquente o rapaz é filho de uma mãe solteira e gostosona para quem Onizuka arrasta uma asa os, dois são muito parecidos, para o desespero de Murai, no mangá é uma das personagens mais importantes, por nenhum motivo especial, o autor apenas lhe dá um destaque especial. Na série de 1998 ele é o líder da sala e possui ar ameaçador, aqui perdeu um pouco o ar ameaçador e influência. Ator: Shintaro Morimoto.


Miyabi – Representante de classe dedica sua vida a destruir todos os professores fingindo-se de meiga e boa menina ela coloca os professores em situações complicadas via conflitos éticos e incita a classe contra os professores tornando-se o principal desafio para Onizuka. Na série de 1998 ela engloba características de Anko e Kanzaki. Atriz: Haruna kawaguchi.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Dilma estaria queimando Lula para se proteger?

A hipótese levantada pela jornalista Vera Magalhães de Veja é daqueles murmurinhos de corredor acessíveis apenas a quem convive no meio político do Planalto. Em sua coluna Radar a jornalista trás a informação de amigos e aliados próximos a Lula, mas será que faz sentido?
Lula passou seu aniversário de 70 anos vendo seu filho investigado na Operação Lava-Jato, a festa foi cancelada e Lula bradou contra Dilma por ela não ter interferido na polícia federal.
A informação de Veja tarta que dentro do planalto aliados de Lula estão convencidos de que Dilma não demite o ministro  Eduardo Cardozo por contar com ele para blinda-la nas investigações da Lava-Jato ao tempo que não faz nenhum esforço para proteger Lula e sua família.
Ainda na mesma coluna – os aliados consideram estranho que escândalo do Eletrolão, desvio de dinheiro das estatais elétricas para pagamento de propina, diretamente ligado a Dilma, terem sido desmembrado da Lava-Jato.
Enquanto políticos próximos a Lula são ouvidos e suas delações vazadas a imprensa nomes como a senadora Gleisi Hoffmann, ligada a Dilma, e Renan Calheiros, aliado do planalto no impeachment, não estão nem próximos de serem investigados.
Dilma sofre com a pressão do possível impedimento, meses atrás quando a oposição comprou a ideia Dilma percebeu que estava encrencada ou no mínimo teria alguns anos difíceis pela frente. Na época a presidente declarou a seus aliados que não cairia sozinha, ninguém teve coragem de perguntar a quem ela se refere.
Bom na semana de aniversário Lula viu surgir a público a existência de quatro imóveis de origem desconhecidas ligados a ele ou membros de sua família. Desses o que mais abalou o ex-presidente foi um apartamento nos jardins estimado em 1.2 milhão de reais ocupado por seu filho Luís Claudio Lula da Silva pertencente a um compadre de Lula, Roberto Teixeira.
O apartamento foi comprado por uma offshore sediada nas Bahamas, vendido seis meses depois a empresa de Teixeira “Mito Participações”. Uma das perguntas que a polícia federal quer fazer ao filho de Lula é por que ele mora nesse apartamento? A investigação quer saber se Lula e seus filhos recebem esse favor por pura generosidade ou existe algum tipo de prova.
Os outros imóveis são:
Um Sítio em Atibaia orçado em 2.5 milhões de reais ocupado por Lula e sua família pertencente aos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar amigos da família e sócios de Fábio Luís, o Lulinha. Depois de ser comprado o sítio teria passado por reformas custeadas pela OAS, uma das construtoras investigadas no Petrolão.
Uma cobertura no Guarujá (litoral paulista) com valor de 2.3 milhões de reais. Atualmente vazia a cobertura pertence à OAS que reformou e mobiliou a cobertura, inclusive instalou um elevador exclusivo até a cobertura. Tudo isso sem cobrar nenhum centavo de Lula.
Apartamento nos jardins (SP) estimado em seis milhões de reais e ocupado por Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha, pertencente a seu sócio Jonas Suassuna na Gamecorp, esse diz que aluga o apartamento a Lulinha.

A existência dos imóveis foi descoberta pela investigação lava-Jato, enquanto Lula vê o nome de seus filhos levantados pela polícia federal Dilma consegue liminares no Supremo dificultando a abertura do processo de impedimento, Lula passa seu aniversário preocupado enquanto o principal adversário de Dilma, o presidente da câmara Cunha, se vê acusado em tempo recorde. Os aliados de Lula estão preocupados e se sentindo traídos. 

sábado, 7 de novembro de 2015

Jogos Vorazes é Cópia de Battle Royale

Um grande sucesso dos cinemas inspirado em um livro igualmente aclamado relatando um futuro alternativo onde os pobres são oprimidos por um governo populista e autoritário olha preocupado para grupos revoltosos, em geral juvenis, para manter a ordem o governo cria um jogo cruel e sádico onde os jovens devem se matar restando apenas um. Parece “Jogos Vorazes”? Mas estou falando de “Battle Royale”.
Em 1999 o japonês Koushun Takami escreveu Battle Royale um romance futurista de fundo político onde um casal de jovens  tenta sobreviver a um jogo sádico, onde apenas um pode sobreviver, cujo objetivo da matança é mostrar o poder do governo e oprimir sua população descontente e alienada. Nove anos depois a escritora americana Suzanne Collins teve a brilhante e original ideia de escrever “Jogos Vorazes”.
Em Battle Royale o Japão tomou rumos fictícios após a segunda guerra mundial o governo refutou ajuda americana e juntou-se a URSS tornando-se uma ditadura nos moldes da Coréia do Norte. Já em Jogos Vorazes temos uma nação que prosperou no pós guerra e mantém refém parte de sua vivendo em extrema pobreza.
Os dois livros mostram uma relação desigual de classes os ricos, do lado do governo prosperam, enquanto os pobres não vêm perspectiva no futuro, passam fome, sofrem com o desemprego e os jovens estão ao véu.
Os motivos dos jogos também são muito parecidos. O livro japonês mostra os jovens
Capa da edição brasileira
desorientados, boicotando a escola – uma vez que o país tende a piorar e o futuro é apenas uma ilusão para que estudar? Cada vez mais jovens tornam-se delinquentes enquanto os adultos ficam assustados e o governo japonês cria o jogo (já falo dele) à premissa é muito interessante valendo-se do medo e da repressão.
Em Jogos vorazes não são o jovens que estão abandonados, mas os colonos deixados em situação de extrema miséria para oprimi-los o governo cria os jogos. Quanta originalidade! Calma que a coisa fica ainda mais vergonhosa.
Koushun Takami criou o programa BR (Battle Royale ou Batalha Real) como um castigo pelo que não foi feito. Uma vez por ano uma classe de formandos é sorteada todos são sequestrados e enviados a uma ilha onde conhecem seu destino. A escritora americana mudou para pior a premissa os jogos como castigo pelo que foi feito muito tempo atrás a sensação de injustiça e incompreensão é menor – os jovens são sorteados pela revolta dos colonos no passado – e devem lutar até a morte.
Em BR temos o drama acentuado pela amizade e
pelo amor – são adolescentes que praticamente cresceram juntos, fazem atividades em comum – como a competição de basquete onde todos da classe se empenham jogando ou torcendo – alguns namoram entre si  optando pelo
suicídio a matarem seus amores outros usam suas ultimas horas de vida para revelarem seus sentimentos correndo o risco de serem mortos a qualquer momento.

Em JV a relação afetiva se resume na dupla principal – a simplificação é algo comum nas adaptações americanas mais do que uma característica social trata-se da falta de talento de uma escritora inexpressiva. A relação entre colonos é bem feita porém esvaziada não dá para comparar uma vida juntos a uma relação de alguns dias. Quem segura à relação dos dois é Jennifer Lawrence jovem atriz, muito talentosa que convence o espectador de sua desolação, perdida em um jogo sádico comandado por adultos indiferentes ao seu sofrimento.
Outro ponto em comum enquanto os jovens se matam eles tem flashes de suas vidas e preocupam-se com seus familiares.
As duas obras em livro e em filme são protagonizados por um casal apaixonado cujo amor surgiu durante o jogo – Suzanne deveria ser processada – no japonês Yoshitoki Kuninobu está apaixonado por Noriko Kagawa que por sua vez ama o melhor amigo de Yoshitoki o guitarrista e ídolo das garotas Shuya Nanahara. Bom Yoshitoki morre logo no começo do livro e Shuya, para honrar a memória de seu amigo, decide proteger Noriko.

Em JV Peeta Mellark ama em segredo a linda Katniss Everdeen que o ignora por completo tendo olhos para sua irmã e seu namorado (posteriormente chifrudo) durante o jogo os dois se apaixonam. Mais uma vez temos uma simplificação BR mostra um rapaz preservando a memória do amigo e afogado em culpa pelos sentimentos que surgem, já JV nem se preocupa com aspectos profundos de seus personagens.
Em fim temos uma diferença Suzanne Collins tomou vergonha na cara e escreveu algo diferente em BR o jogo é feito em segredo e a população sabe que ele começou, mas não tem acesso e nem quem participa já em JV os participantes tornam-se ícones pops e o jogo serve também para divertir seus colonizadores – com a sutileza de um elefante bêbado em uma loja de cristais Suzanne critica a mídia atual e nosso sistema de ídolos instantâneos e descartáveis. Sendo justo funciona e muito bem.
Ambas as obras foram adaptadas para o cinema BR foi lançado em 2000 e dentre outras inspirações fez Quantin Tarantino criar a personagem Gogo Yubari em Kill Bill contratando a atriz Chiaki Kuriyama para o papel – Tarantino nunca escondeu a inspiração e não cansa de recomendar o filme.
Chiaki Kuriyama
JV foi adaptado para o cinema em 2012 – acharam que doze anos seria suficiente para o público esquecer do primeiro filme, no Brasil BR foi lançado com o título de Batalha Real diretamente em DVD por uma distribuidora minúscula o que favorece seu desconhecimento exceto por fãs de cinema.

Jogos Vorazes é filme ruim? De forma alguma, muito pelo contrário ele cumpre perfeitamente sua função de divertir e criticar e de quebra lançou a linda e talentosa Jennifer Lawrence um sopro de talento necessário. O filme conta com bom elenco e situações originais afastando o filme de BR – alguém da produção deve ter visto o filme japonês e ficou com vergonha, porém é inevitável perceber as semelhanças. Veja a ultima parte de Jogos Vorazes no cinema e divirta-se, mas veja o filme japonês e leia o livro lançado aqui pela Editora Globo.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

A Polêmica da ONU contra os Animes

No ultimo mês foi vinculada uma notícia que deixou os fãs de mangas e animes preocupados trata-se da recomendação da ONU ao governo japonês pedindo o fim de mangas e animes com ilustrações sensuais ou sexuais de lolis. Com este post pretendo ilustrar os cenários atingindo não apenas os fãs, mas todo o público para que saibam o que estão discutindo.
Preocupados com a pedofilia no mundo secretários da ONU começaram a avaliar conteúdos que possam influenciar comportamentos pedófilos pelo mundo, nessa investigação os mesmos depararam-se com o que é conhecido na cultura japonesa como “Lolicon” não é necessário ser um profundo conhecedor do assunto para entender o que é.

O que são os conteúdos Lolicon?

Lolicon vem de Lolita personagem título do livro de Vladimir Nabokov sobre uma adolescente que seduz um homem mais velho – acho que a ONU não leu o livro, nem assistiu o filme de Stanley Kubrick. Mas tudo bem eu sim as duas obras focam a sexualidade “precoce” (em padrões legais) e como a protagonista seduz o inquilino de sua mãe. O mesmo tema será encontrado em “presença de Anitta” e em fábulas como “Chapeuzinho Vermelho” e “A Pequena Sereia” – de forma metafórica, já falo nelas. A mitologia grega trás a figuras das Ninfas mulheres extremamente sensuais e sedutoras mito que deu origem ao termo ninfeta.
Voltamos ao Japão Lolicon ou Loli ultrapassa a barreira dos animes, o que temos é um exemplo de como a arte ilustra a vida, não existe pedofilia no Japão porque os mangás ilustram, mas os mangás ilustram temas culturais, mas sim porque existe pedofilia no mundo inteiro.
Loli é um seguimento da moda japonesa onde pessoas – garotas, em sua maioria - se vestem como bonecas vitorianas, mercado que ganhou uma
Ghothic Lolita
subdivisão “Ghothic Lolita” onde a cultura gótica surge como inspiração ao lado da literatura do século XIX. É uma mistura de dama vitoriana, moda gótica, empregada vitoriana e boneca. E sim fica bonito.
Outro aspecto da moda japonesa são as colegiais ou melhor o uniforme colegial – o fetiche envolvendo saias curtas, moletons largos e meias folgadas. Algumas garotas usam uniformes mesmo após saírem do colegial. Comprovando que o foco do desejo não é a idade, mas sim a aparência.
A ONU elencou ao menos mais dois fatores embasando sua proibição: encontros pagos e máquinas de venda de roupas íntimas de menores de idade. Vamos entender o que são essas coisas.
Algumas (e friso algumas) garotas japonesas recorrem ao “enjo kosai” – caça aos velhos em uma tradução muito livre (friso o muito) basicamente as garotas seduzem homens mais velhos que pagam suas roupas e acessórios em troca saem com eles para um jantar (sem trocadilhos) ou passeiam no shopping sem relação sexual.
Os encontros que preocupam a ONU são contratos não sexuais onde, mais uma vez, o foco é o fetiche de andar ao lado de uma “colegial” e não a menina menor de idade. Não necessariamente a colegial é uma colegial.
As máquinas mencionadas à cima são um pouco mais difíceis de ilustrar. Imagine uma máquina de refrigerante ou de livros comuns na maioria das estações de metrô. Troquem o conteúdo por calcinhas ou sutiãs usados por menores de idade. É isso. A lei japonesa permite esse tipo de negócio. Uma máquina como essa seria proibida no Brasil, e a proibição seria certa, uma vez que nossa lei proíbe, a lei japonesa permite.
O Japão é um país caracterizado por um rigor social cada um possui um papel na sociedade e deve segui-lo dando o máximo de si. A sexualidade é apenas uma válvula de escape, culturalmente a sexualidade japonesa se esvai pelo fetiche que é sempre focado em um objeto ou situação. Dentro desse contexto alguém realmente acredita que uma obra de ficção pode fazer alguma diferença?

Obras de Ficção sobre a sexualidade infantil

Você ainda não está convencido ou simplesmente acredita que obras de ficção podem estimular a pedofilia mesmo não a causando? Tudo bem você tem o direito de pensar assim. Mas tem a obrigação de ser coerente com suas crenças. Os animes não são a única ficção a abordar a sexualidade infantil.
Os contos de Fada
Hoje lidos para crianças e deturpados de sua origem os contos de fadas trazem muito conteúdo erótico e infantil. O psiquiatra e psicanalista americano Bruno Bettelheim publicou “A Psicanálise dos Contos de Fadas” onde analisa o conteúdo erótico dessas histórias centenárias.
Chapeuzinho vermelho
O objetivo dos contos de fadas era divertir a corte e ensinar crianças. Veja o caso de “Chapeuzinho Vermelho” uma adolescente vivendo o desabrochar de sua sexualidade veste vermelho – cor escolhida propositadamente – onde ela seduz o lobo. Na versão original e nas versões contadas até hoje a protagonista sabe que existem dois caminhos um onde existe o lobo e outro onde não existe ela escolhe o caminho do lobo.
Ao encontrar o lobo a menina “deixa escapar” que vai para a casa de sua avó, interpretado por Bettelheim como um convite ao predador. Na versão original o lobo não se veste de avó – essa passagem sempre gerou piadinhas do tipo “essa menina deveria ser cega” ou “a avó dela não se depila” – revelando a desconfiança das crianças perante o disfarce do lobo. Nenhuma criança engole que o lobo se passa por vó e sentem-se enganadas, não sabendo porque.
Na primeira versão, de tradição oral, Chapeuzinho escapa urinando na cama do lobo, como uma demarcação territorial. A cena revela que o lobo não é um lobo. Se a menina age como animal, um homem pode agir como animal também.       
A primeira versão escrita foi a de Perrault onde o lobo convence a garota a tirar sua roupa, uma vez nua ela deita na cama com o lobo (sem disfarce de avó) segue o diálogo que olhos grandes você tem e o lobo come a menina. Temos então um poema advertindo as meninas menores de idade a não falarem com estranhos, pois muitos podem ser lobos – essa versão foi adaptada para o cinema em “A Companhia dos Lobos” trazendo ao final do filme o poema de Perrault.
As versão dos Irmãos Girnn foi escrita depois e é um pouco mais leve, nela o caçador salva a menina. Porque a figura do caçador? Um homem adulto é introduzido na história salvando a menina das consequências de sua sexualidade não resolvida. Ele representa o pai cuja função é orientar e cuidar.
Já na pequena sereia, uns contos de fadas dinamarqueses, escritos por Hans Christian Andersen trás a trágica consequência da paixão de uma menina por um homem de mundo diferente do seu – esqueça a versão da Disney, no conto de fadas Ariel sofre muito, sua nadadeira é repartida em duas e cada passo seu é uma dor horrível.
A pequena sereia é uma metáfora: existem dois mundos o infantil e o adulto, crianças não devem adentrar o mundo adulto – o sexual – proibido a elas pois as consequências são severas.
Os contos de fadas servem como ensinamento as crianças para tomarem cuidado, mas existe outro livro, que deve ser lido como metáfora, que relata estupros contra virgens, tornando-se perigoso quando lido de forma literal. Estou falando da Bíblia.
Juízes 19 narra a história de um homem refugiado em uma casa de família, a população fora tomar satisfações com ele. O dono da casa afirmou que não entregaria o fugitivo, em troca ofereceu sua filha virgem para os revoltosos: 24. “Aqui estão a minha filha virgem e a concubina do homem; fá-las-ei sair; humilhai-as a elas, e fazei delas o que parecer bem aos vossos olhos; porém a tal homem não fáceis tal loucura”.  A história segue com o dono da casa entregando a concubina que fora estuprada a noite inteira, no dia seguinte o homem desmembrou a mulher morta enviando seus pedaços a trinta regiões de Israel.
Ainda na Bíblia Sagrada Deuterônômio 22:28-28 diz que deve-se pagar 50 siclos de prata para estuprar uma virgem em Êxodo 21:7 é legal vender a filha como escrava, o preço deve ser combinado – temos no livro sagrado dos cristão trechos narrando a pedofilia.
Sendo assim se você acredita que a ficção estimula a violência deve combater os contos de fadas e bíblia.

Por que os animes?

Voltemos a polêmica em voga porque a cultura japonesa? Quando fiquei sabendo da orientação da ONU logo imaginei que o Japão fosse o número um no ranking de pedofilia no mundo, sendo assim a ONU tem obrigação de intervir. Para minha surpresa o Japão não lidera o ranking.
Em 2006 foi feito um levantamento de sites com conteúdo de pedofilia no mundo, descobriu-se que na época existiam cerca de 6.2 mil sites de conteúdo pedófilo o mesmo levantamento apontou que o Brasil era o país com maior número de sites hospedados.
Durante a Copa do Mundo esse blog transcreveu matéria do jornal colombiano “El Mostrador” onde crianças da favela de Itaquera se prostituíam por R$ 23.00 durante as obras do Itaquerão. O post está aqui para quem quiser ler. agora se um jornal colombiano sabia como a ONU não sabia? O blog fez sua parte, publicou a matéria em português, não fomos os únicos outros meios de imprensa trouxeram a mesma matéria em diversos idiomas.
Então fica a pergunta: Por que os animes e mangás?
No início de sua carreira como psicanalista Sigmund Freud era muito criticado na comunidade científica – o pai da psicanálise tratava as neuroses via sexualidade de suas pacientes, em seus artigos transcrevia os desejos sexuais das mesmas.
Com o passar do tempo Freud percebeu que as críticas eram sempre as mesmas e sempre das mesmas pessoas, um dia, no começo do século XX Freud parou de ler seu artigo, motivado por
Freud
murmúrios e disse algo mais ou menos assim: “Vocês criticam o que eu escrevo, mas vocês leem o que eu escrevo e quando leem o que escrevo vocês ficam excitados e isso os incomoda”. Entenderam agora?
As críticas ao conteúdo erótico dos animes são motivados pela moralidade coercitiva dos censores cuja principal vítima são eles mesmo, infelizmente seu poder atinge outras pessoas.
Finalizando a pedofilia é um crime e deve ser combatido, porém é necessário cuidado o conhecimento psicanalítico aponta que o ato só acontece quando a fantasia se esvai, simplificando a fantasia (como no caso dos animes) é necessária e fantasiar dificulta e muitas vezes impede o ato (pedofilia) ou seja proibir a fantasia favorece a ação da pedofilia.

Os animes Lolicon vão acabar?
 
A resposta é um grande não! A ONU não possui poder legislativo o máximo permitido a ela é sugerir mudanças. O Japão é um país capitalista, portanto democrático e livre, onde as pessoas tem o direito de consumir o que quiserem. O consumo dos produtos Loli e suas ramificações fazem a economia girar, sem esse incentivo a economia japonesa sofreria um duro golpe. Seria um suicídio financeiro. Além disso, o Japão é uma das maiores economias do mundo o que dentro da ONU significa poder.


domingo, 1 de novembro de 2015

Carine Felizardo



O Bumbum mais bonito do Brasil

Ring gril, capa da Sexy, Campeã do Miss Bumbum e loira fatal. Essa gaúcha nos faz pensar como pode tanta beleza junta?! Felizardos somos nós por ela dividir suas formas conosco.
Quando questionada sobre seus trabalhos sensuais: “Não sou mais uma gurizinha. É um momento da minha vida que quero registrar”.
Sozinha sim, solteira nunca, é este seu lema na entrevista para a revista sexy: “tenho companhia, um cachorro para passear (risos) e nos momentos mais quentes sempre tem uma pessoa”.
Nós do blog somos legais e damos o caminha das pedras. O que ela mais gosta em um homem: “Os olhos. Você acredita? O olhar tem que ter algo mais”, a pergunta óbvia se os olhos estiverem em um baixinho barrigudo? “Não importa eu já namorei altos, magros, baixinhos e gordinhos. Todo mundo tem um diferencial. O que atrai a gente é jeito de tratar. Atenção, carinho... Isso tudo faz bem. Gosto de um pouco de romantismo”.
Muito cuidado a moça é delicada, mas sabe o que quer: “ninguém merece homem meloso, tem que ser um pouco meloso e um pouco safado (risos). No sexo tem que ser safado, deixar o romantismo de lado”. Carine continua: “Orgasmo não pode faltar. Tem que ser homem e dar conta”. Com ela do lado deve ser impossível não dar conta.
Como ela é na cama: “Sou muito caprichosa. Gosto de fazer as coisas irem esquentando. Vou enchendo de beijo, dando lambidinhas, me dedico mesmo. Ai vou devagarinho até ficar mais louco e quente o negócio. Eu tenho um capricho especial pelo sexo oral”.













Perfil
Altura: 160 cm

Busto: 102 cm
Cintura: 72 cm
Quadril: 105 cm

 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...