Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

sábado, 14 de novembro de 2015

GTO 2012 - Onizuka Segue Sendo Um Grande Professor

GTO é um dos mangas/animes mais queridos dentre os fãs aqueles que leram/assistiram sonham em ter um professor como ele. A ideia é simples: imaginem um professor empático que ame seus alunos e acima de tudo quer ser amigo e ensinar que estar vivo pode ser uma coisa muito boa.
Não é difícil elencar produções semelhantes, a finada sessão da tarde exibia filmes com a mesma temática: Robin Willis provou todo o seu talento em filme semelhante “Sociedade dos Poetas Mortos”. A lista é extensa e mesmo todos esses professores maravilhosos não se aproximam de Onizuka.
Eikichi Onizuka é famoso em todo o Japão, não por suas aulas, mas por ser o líder de motoqueiros mais temido do país seus rivais costumavam compara-lo a um demônio, aos 22 anos o rapaz vive de bicos, mora com seus dois melhores amigos e companheiros de gangue, e se ressente pela maneira como era tratada pelos professores em seu tempo de estudante.
Em termos gerais essa é a apresentação que qualquer artigo traria sobre esse grande professor, este post em específico é dedicado à série de 2012. Já falamos sobre GTO no Blog e você pode ler o post clicando aqui. E sobre Kanzaki Urumi, uma de suas queridas alunas, aqui. Porém como sou legal farei um breve resumo.

Início

GTO é um mangá de Tohru Fujisawa publicado dentre 16 de maio de 1997 e 17 de Abril de 2002 sendo sequencia de outro mangá onde Onizuka era líder da gangue de motoqueiro. Logo no primeiro volume encontramos nosso protagonista sem rumo na vida, vivendo de subempregos sonhando em ser um “grande homem” até uma noite onde encontra uma colegial triste e sem rumo na vida. Ao ajuda-la Onizuka vê no vínculo dessa garota com seu professor e entende que este é um caminho para fazer a diferença na vida de alguém.
Em 1998 GTO foi transformado em um Dorama ou J-drama (uma novela ou minissérie) com atores interpretando personagens do mangá. O resultado final ficou muito bom à série é engraçada e afetiva tal qual a obra original os atores se destacam principalmente Sorimachi Takashi que interpreta Onizuka. O seriado foi tão bom que ganhou dois filmes feitos para a TV com histórias originais. De quebra Sorimachi encontrou uma esposa ele casou-se com a também atriz Matsushima Nanako que interpreta a professora Fuyutsuki seu “interesse amoroso” – mais conhecida como a protagonista de “Ring o Chamado” terror japonês de 2002.
GTO virou anime no ano de 2000 totalizando 43 episódios muito fiéis à obra original a animação abrange quase todo o mangá, parando um pouco antes e, portanto com final diferente. Mesmo assim é um ótimo divertimento comparado ao Dorama é muito mais fiel mesmo porque é difícil resumir 25 volumes em 12 episódios. As personagens são melhores desenvolvidos e apropria mídia favorece um Onizuka mais louco e ridículo – ele dá aulas fantasiado e fuma na frente de seus alunos.

GTO de 2012

GTO de 1998 marcou época alguns de seus atores ficaram bem famosos, sua trilha sonora é um capítulo a parte a canção de abertura “Poison” resume o clima da série onde desconfiança, abandono e um coração raivoso são venenos enquanto a amizade é tido como antídoto.
Então porque realizar um remake? A primeira coisa a se saber a série de 2012 não é um remake, mas outra versão para a mesma obra, outro ponto a série foi feita em 1998 apenas um ano depois do mangá começar a ser publicada e quatro anos antes dele terminar, muita coisa foi deixada de lado, alguns dos momentos mais importantes não foram filmados (porque não tinham sido escritos) e algumas personagens foram condensadas – dois ou mais
personagens do mangá foram transformados em um.
A condensação é a principal queixa dos fãs a versão de 2012 veio corrigir essa falha e tenta ser fiel a obra, uma tarefa difícil pois deve-se resumir os 25 volumes em 11 episódios. Outro objetivo é apresentar a toda uma nova geração uma obra que além de divertir passa uma mensagem importante. A escola deve ser um lugar gostoso onde alunos e professores sintam-se em casa – pode parecer obvio mas já ouvi professores brasileiros recebendo instruções de diretores e coordenadores para não sorrirem em sala de aula para manter os alunos em seus lugares.
Outra diferença está no tom à série de 1998 é estritamente uma comédia que te insere no mundo de GTO. Ao final de cada episódio você sente como se fosse um aluno; a versão de 2012 mantém o clima saudosista/amigável e você tem vontade de chamar Onizuka para uma cerveja porém a série mistura elementos de humor com tons dramáticos e momentos de ação em quase todos os episódio nosso professor arranja briga e bate em alguém.
Outra diferença fundamental está nos protagonistas: Takashi Sorimachi é um ator/cantor extremamente simpático ele cria um Onizuka ingênuo (para não escrever burro) impulsivo capaz de tudo por seus alunos características semelhantes ao Onizuka de Akira também ator/dançarino seu Onizuka é menos ingênuo e mais alegre.
O Onizuka de 1998 é bem menos ético ele pede dinheiro para seus alunos e mais relaxado permitindo que eles apanhem ou se estrepem apenas para aprenderem uma lição, já a versão de Akira jamais permitiria que um aluno seu sofresse assim, preferindo convence-lo pelo afeto ele é um pouco mais centrado.
Por sua vez as duas versões são relaxadas Takashi cria um Onizuka bufão usando terno (muito) folgado com regada e poses cômicas um perfeito idiota já
Akira volta-se para a delinquência usando coletes e roupas próximas ao modelo Punk sua postura é mais séria. Akira tingiu seu cabelo de loiro ficando mais parecido com a personagem. Outra diferença: Takashi é um galã já Akira se esforça para ser feio.
Chegamos à versão de 2012 começa com Onizuka o grande jardineiro! Após ser indicado para o emprego nosso protagonista vai a uma escola podar as árvores lá ele vai ao refeitório onde conversa com a servente sobre seus tempos de escola – como aquele lugar deveria ser divertido e como os professores humilham os alunos o chamando de lixo.
A conversa é interrompida por três alunos expulsos que invadem a escola com tacos de basebol procurando pelo vice-diretor, o responsável por suas expulsões, esperto e covarde o homem esconde-se atrás de Onizuka ofendendo ainda mais os garotos! O então jardineiro nocauteia o covarde e lhe dá uma lição de moral “nunca chame seus alunos de lixo”.
Novamente desempregado Onizuka percebe que um dos alunos tentava suicídio descobrindo que ele sofre bullying de uma amiga de infância – a garota tem uma história triste e desconta no rapaz tímido, Onizuka torna-se amigo dele e o ajuda a acertar as coisas. É apenas no final do primeiro episódio que Eikichi é surpreendido pela tia da cantina, ou melhor, a diretora da escola que gosta de trabalhar na cantina para ficar próxima a seus alunos.
Onizuka é contratado para ser o professor responsável pela classe 2/4 a classe problema onde nenhum professor consegue ficar pouco tempo todos se demitiram após sofrerem muito. A série engloba os esforços de Onizuka em cuidar das feridas emocionais de seus alunos ensinando que os amigos são aqueles que ajudam e cuidam um dos outros tornando a vida um lugar melhor.

Alunos da sala 2/4

Segue um breve resumo dos alunos mais terríveis da escola, cada um deles possui um passado sofrido:

Anko – primeira aluna a ser ajudada por Onizuka e uma das grandes ausências na versão de 1998 a garota veio de berço pobre e viu seus pais enriquecerem, o problema é que enquanto eles enriqueciam os mesmos se distanciavam a garota passa a viver em um mundo frio e após ser abandonada por seu amigo opta pelo bullying. Atriz: Yua Shinkawa.

Noboru – garoto tímido que sofre bullying de Anko conhece Onizuka após tentar cometer suicídio, foi ele que abandonou Anko: a garota estava sendo assaltada e ele fugiu por isso não reage aos abusos e sente-se culpado. Apanhar é uma forma de compensar pelo que fez. Ator: Taishi Nakagawa.

Miki – Outra ausência de 1998, filha de um eminente delegado que visa apenas sua carreira. Após a morte de sua mãe seu pai afastou-se cada vez mais, na série a garota falta sempre as aulas e fez Onizuka ser preso duas vezes, mesmo assim ele nunca desistiu de sua aluna e tornou-se amigo dela. Atriz: Mariya Nishiuchi.

Kikushi – Menino gênio por ser muito inteligente ele considera-se acima dos demais e afirma odiar Onizuka por seu jeito humano de ser. O rapaz só valoriza a inteligência ou seja o extremo oposto de Onizuka. Ele aproxima-se do professor ajudando esse a encontrar Miki apenas pelo desafio. Ator: Sho Takada.

Kanzaki Urumi – A principal ausência da série de 1998 Urumi é a melhor personagem criada por Fujisawa depois de Onizuka – menina gênio perdeu a confiança nos professores e por ser muito inteligente não se encaixa em nenhum lugar. No mangá a garota apaixona-se por Onizuka. Uma diferença no mangá/anime a menina esteve ausente entrando na metade do ano após ter sua amizade conquistada por Onizuka. Aqui ela frequenta as aulas desde o primeiro dia Atriz: Tsubasa Honda.

Murai – Praticamente um delinquente o rapaz é filho de uma mãe solteira e gostosona para quem Onizuka arrasta uma asa os, dois são muito parecidos, para o desespero de Murai, no mangá é uma das personagens mais importantes, por nenhum motivo especial, o autor apenas lhe dá um destaque especial. Na série de 1998 ele é o líder da sala e possui ar ameaçador, aqui perdeu um pouco o ar ameaçador e influência. Ator: Shintaro Morimoto.


Miyabi – Representante de classe dedica sua vida a destruir todos os professores fingindo-se de meiga e boa menina ela coloca os professores em situações complicadas via conflitos éticos e incita a classe contra os professores tornando-se o principal desafio para Onizuka. Na série de 1998 ela engloba características de Anko e Kanzaki. Atriz: Haruna kawaguchi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...