VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

sexta-feira, 29 de julho de 2016

O Governo Temer

O governo interino de Michel Temer completa dois meses, tempo suficiente para apreciação de um esboço, em situações normais não são recomendadas cobranças em tempo tão curto, infelizmente a política brasileira não passa por uma situação normal. Contudo o presidente vem mostrando sua cara, em consequência a luz no fim do túnel volta a brilhar.
Temer é o primeiro a lembrar que é presidente em exercício e não presidente, ele não tem condições de implantar todas suas ideias antes da votação do impeachment: “Embora sinta que a confiança do Brasil está voltando a renascer, reconheço que o investimento estrangeiro está esperando para ver o que vai acontecer depois de agosto, na votação do impeachment” (em entrevista a Veja). 
O capital estrangeiro é importante devido ao planejamento de acertos financeiros com outras nações – Estados Unidos, Emirados Árabes e Japão são suas prioridades – e um programa de privatização que deve envolver os correios e aeroportos. Já Petrobrás e os dois bancos nacionais (Banco do Brasil e Caixa) continuarão no poder do estado. A privatização só pode acontecer com o investimento estrangeiro, a partir de outubro teremos novidades nessa área.
As privatizações são boas para o Brasil? São ótimas! A privatização melhora instantaneamente o atendimento e a qualidade do trabalho (as empresas privadas não tem a mamata da estabilidade, assim sendo seus funcionários são obrigados a produzir) e reduz os gastos do estado, que não precisa mais gastar com milhares de funcionários improdutivos e alguns qualificados.
Só quem não gosta das privatizações são os parasitas e a cumpanherada que fica se empoderando por aí. Vitória do Brasil contra o PT!
Outras mudanças importantes estão em seus ministérios: na fazenda Henrique Meirelles conta com a confiança de políticos, populares e investidores (quando foi a última vez que isso aconteceu?) Recomendando propostas impopulares a curto prazo, mas necessárias e benéficas a longo prazo – como aumentar impostos momentaneamente e a reforma na previdência; enquanto José Serra, no cargo de ministro das relações exteriores, vem deixando claro que o Brasil não vai mais se juntar as ditaduras de terceiro mundo.
Em seu livro O que sei de Lula José Nêumanne Pinto compara presidentes a peões de boiadeiro, só dá para saber se é bom se o boi for bravo – Lula e Dilma governaram sem nenhuma crise, a única crise em 13 anos de governo (crise criada pelo próprio PT) desestabilizou o governo. Ainda não dá para saber se Temer é ou não um bom peão. Ele deu algumas derrapadas, mas continua sobre o touro.
O que não falta é gente disposta a balançar o touro – por um lado petistas furiosos, de outro brasileiros exigindo o impossível. Nesse turbilhão Temer vem desmascarando mais uma mentira petista de que seu governo acabaria com a Lava Jato. Pura cascata, três ministros caíram, o PMDB está na mira da investigação, nomes importantes como Cunha e Renan Calheiros são investigados e o governo não se mete, mesmo porque não tem como.

Resta esperar até agosto para sabermos se o Brasil vai andar para frente ou para trás.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Mulher Maravilha e Liga da Justiça

A DC deu mais um show na Comic Com San Diego, Saíram o primeiro trailer da Amazona e as primeiras imagem da Liga da Justiça, já estou contando os dias para 2017, mas LJA me deixou com um pé atrás.
Começando com a princesa Diana, esse é aquele tipo de filme que tem tudo para fazer sucesso: as pessoas aceitaram e aprovaram Gal Gadod como a princesa das amazonas; sua personagem começou muito bem em Batman Vs Superman, roubando a cena; o filme supre uma lacuna – a falta de mulheres como protagonistas em filmes de super-heróis e de quebra Gal é excelente atriz.
Ambientado na primeira guerra mundial o trailer mostra uma Diana ingênua e guerreira, desconhecedora dos costumes dos homens e curiosa com o sexo forte, enquanto revela-se, ela mesma, mais poderosa que qualquer homem, chegando a enfrentar um exército sozinha. A ambivalência da personagem, até então, é perfeito.
A trilha sonora e fotografia clássicas sugerem um filme sério e sóbrio, com inserções cirúrgicas de humor; outro ponto forte é a tensão sexual entre Steve Trevor e Diana. O homem do meio do século XX e a mulher que não se deixa comandar, o amor impossível entre um soldado que não pode abandonar sua pátria e a amazona que deve evitar o mundo dos homens. Como pode não ser bom?
Se o drama dá o tom nesse trailer as cenas de ação são de arrepiar, diferente de Batman ou Superman a Mulher Maravilha não é nenhuma deusa ou criatura das trevas e sim uma mulher feminina e forte, sensual e poderosa, que não precisa renegar sua sensualidade. Mais uma vez a caracterização merece ser aplaudida de pé.
É interessante ressaltar a diferença dessa Mulher Maravilha para heroínas feministas que estão na moda. Aqui temos uma mulher com toda sua fragilidade humana, ela não sabe o que fazer com seus sentimentos quando conhece Steve Trevor, fica encantada e confusa com o mundo humano, nem por isso abaixa a cabeça, sendo independente e poderosa. Uma rainha e não uma dama de ferro inabalável. O Trailer de Mulher Maravilha promete um filme que prova que é necessário ser frágil para ser forte, independente se estamos falando de homens ou mulheres.
O trailer ainda dá indícios de uma Diana espiã, vemos ela em uma festa, conhecendo generais, vestida a paisana, enquanto Trevor lhe mostra o mundo. Como e se o filme vai tratar esse lado já é outra história, agora Mulher Maravilha promete ser “O Filme” de super-heróis de 2017.
Trailer aqui.

Teaser de Liga da Justiça

Outra boa promessa e boa surpresa. O teaser começa dramático e sombrio, como os primeiros trailers de Homem de Aço e Batman vs Superman dirigidos pelo mesmo Zack Snider, Bruce Wayne (Bem Affleck, perfeito) procura por um homem misterioso em uma vila de pescadores, mas logo entra um solo de guitarra, sugerindo uma produção mais marvetinha.
Após a morte de Superman Wayne procura novos heróis começando pelo Aquaman, de caracterização monstruosa, interpretado por Jason Momoa, muito diferente daquela versão dos Super Amigos; seguido pelo Flash, perfeito enquanto comediante da turma, disparando duas ou três piadinhas a cada fala. Até ai são só aplausos.
Mas então, qual o problema? Começando pelo diálogo engraçadinho entre Diana e o morcego ela pergunta se Aquaman foi recrutado, Bruce diz mais ou menos e faz uma cara engraçada, muda para um cena onde ele é erguido pelo colarinho pelo rei de Atlantis. Diana retribui com ironia. Me desculpem. Esse humor até cabe, mas estamos acostumados a ver essa mesma dinâmica à exaustão nos filmes da Marvel, por vezes enfraquecendo a trama devido ao excesso.
Esse  Batman parece ser menos sombrio, mas indolente, ele desafia Aquaman, felizmente deixa claro não querer amiguinhos, mas sim uma equipe; outro ponto forte é a tensão entre ele e Diana. assim como na Origem da Justiça parece que os tiveram um romance no passado. Convenhamos, se existe um homem com saco roxo o suficiente para pegar a Mulher Maravilha, esse homem é Bruce Wayne.
Quem rouba a cena é o Flash como adolescente bonachão, que não sabe onde está se metendo, em um momento muito engraçado Bruce Wayne atira um batmerangue no rapaz, que desvia, aqui vemos Batman agindo como Batman e Bem Affleck calando (mais uma vez) os críticos.
O ciborgue aparece pouco, frustrando seus fãs, porém seu visual está incrível, fica impossível traçar qualquer possibilidade de personalidade. Quanto a formação da liga: Aquaman e Mulher maravilha deverão ser a força bruta; Batman o estrategista e Flash uma carta na manga, a ser usada pelo cruzado encapuzado. Que vai liderar a equipe.
Justiça seja feita (perdão pelo trocadilho) vendo mais de uma vez o teaser é bastante escuro e contém cenas de efeito, mantendo a identidade visual do universo DC nos cinemas. Esperemos ansiosamente por mais.
O filme em si mostrará o início da invasão de Apocolypse, onde parademônios invadirão sob o comando do Lobo da Estepe. Batman tem pouco tempo para reunir “pessoas com habilidades especiais” para proteger nosso mundo, agora órfão do último fiho de krypton.
Alguns boatos sugerem que Superman voltaria durante o filme, outros afirmam que ele voltaria no final do filme e existem aqueles que precisam que o kryptoniano voltará em outro filme: ou Homem de Aço 2 ou Liga da Justiça 2. Só uma coisa é certa, o campeão da Terra não ficará morto.
O teaser não faz menção ao super, mas está subentendido, sem ele Bruce Wayne precisa reunir uma equipe de seres poderosos para tentar substituir o  azulão. Por sua vez o retorno do mundo dos mortos terminaria o ciclo iniciado em Homem de Aço – Superman deixaria a imagem de falso deus para tornar-se o símbolo máximo da esperança, salvando o mundo e, quem sabe, tornando-se amigo de Batman.
Em uma das passagens mais engraçadas dos quadrinhos da DC Clark comenta com sua mãe que sente-se só em Metrópolis, por ser um herói de identidade secreta ele está sempre só, sua mãe sugere o Batman, Clark sorri dizendo: “Ele não é do tipo que faz amigos, além disso ele me assusta um pouco”. Se o humor da Liga da Justiça girar nesse tom está tudo bem, agora se for algo como Vingadores 2 que os deuses dos quadrinhos nos ajudem.   
Teaser aqui.


sexta-feira, 22 de julho de 2016

TOP 10 As Mais Gostosas dos Comics

O universo das HQs está repleto de naniqueismo – seres poderosos se distinguindo entre bem e mal, lutando pelo que acreditam e muitas mulheres gostosas. Fica difícil saber o que chama mais a atenção. Para facilitar (ou dificultar) sua leitura listamos as 10 mais gostosas do universo do comics.

Arlequina
Psiquiatra recém formada com um futuro brilhante pela frente, a Dra. Harley Queen ganhou uma bolsa de estudos para o Asilo Arkahn, sem pensar duas vezes ela começou a fazer sessões com o Coringa. Se tivesse pensado provavelmente teria pulado fora. Enquanto a moça pensava e analisava o palhaço do crime esse lentamente a enlouquecia com o objetivo de conquistar sua liberdade e claro se divertir. Atualmente Arlequina segue apaixonada pelo seu “pudinzinho” e é a personagem que mais cresce no universo DC. Merecido não?

Gata Negra
Uma ladra nata Felícia Hardy vem de uma família de criminosos, devidamente treinada no ofício, Felícia acabou amaldiçoada em um roubo e virou portadora de uma sorte um pouco estranha. Capaz de momentos de grande fortuna ou o mais terrível azar a moça começou a tomar mais cuidado. Seu ponto alto foi ter se apaixonado pelo Homem Aranha. Como nada é muito simples na vida do cabeça de teia ele logo percebeu que a gata estava interessada no herói e não no fracassado Peter Parker. Após corações partidos eles são quase aliados, afinal não dá para confiar totalmente em uma gatuna.

Mulher Maravilha
Diana, a princesa das amazonas, acaba de estrear nos cinemas e vai ganhar um filme solo em 2017. Muito antes disso ela já se destacava nos quadrinhos como a força feminina dentro da liga da justiça – algumas vezes descrita como tão poderosa quanto Superman outras vezes desenhada como mais alta Diana é uma guerreira e possui o temperamento de uma. Em sua primeira versão ela foi fruto do sofrimento de todas as mulheres do mundo, em versão mais pé no chão ela é filha da rainha amazona com Hades, o deus da guerra, e veio ao mundo dos homens tomada pela curiosidade o que gerou certo atrito com sua mãe.

Poderosa
Poucas personagens possuem nome tão condizente quanto a Poderosa, inicialmente criada para a minissérie Terra 2 sua presença foi tão marcante que ela acabou inserida no universo DC regular. Por algum tempo ela morou na Europa integrando a Liga da Justiça Europeia, onde enfrentou problemas com os paparazzi. Kara Zor-L é prima do Superman possuindo seus poderes com o adicional de peitos maravilhosamente grandes, o que lhe garante uma multidão de heróis chatos passando cantadas péssimas. O que deve ter de gente se jogando de prédios em Metrópolis para ser amortecido pela Poderosa não está escrito.


Psylocke
Talvez a personagem de origem mais complicada dessa lista. Inicialmente uma modelo britânica Betsy Braddock (sem nenhuma relação com Chucky Noris) entrou para a divisão Psi de S.H.I.E.L.D inglesa. Uma vez desligada ela adentra aos X-Men onde morre e tem uma chance de ressuscitar, voltando como uma oriental desmemoriada. Que confusão Stan Lee! Seus poderes envolvem a criação de sais e adagas psíquicas. Sua sensualidade e espírito de luta a coloca na lista de personagens preferidos dentro nove em cada dez fãs dos mutantes.


Ravena
Filha de um demônio com uma humana Ravena nasceu para ser um portal interdimensional, que mergulharia a Terra em um inferno. Atormentada a moça reuniu os Titãs para tentar impedir essa invasão. Quem vê à primeira vista não imagina que por detrás de tanto pano existe uma gostosa que já pegou o Mutano e Asa Noturna. Não se engane com seu jeito sombrio a moça possui um lado doce e adora assistir Gossip Girl escondida.

Red Sonja
Vinda de uma linha alternativa da Marvel Red Sonja é uma guerreira medieval. Oriunda de um mundo repleto por bárbaros e feiticeiros.quando criança vivia alegremente com sua família, a única coisa que lhe irritava era seu pai, que treinava apenas seus irmãos homens na espada. Cansada de ser excluída dos treinamentos armamentícios ela se rebela, no mesmo dia criminosos atacaram sua família, mataram seus pais e a estupraram. A beira da morte Sonja vê uma deusa que a convoca para uma missão, impedir a ressureição de um deus maligno.

Vampira
Uma das personagens mais queridas do X-Men, Vampira sofre com seus poderes mutantes que a impedem de ter qualquer contato humano. O termo Rogue, que ela se autodenomina, é de difícil tradução significando uma figura misteriosa e encapuzada que vaga solitária. Inicialmente criada peor vilões, Vampira foi entregue aos cuidados de Charles Xavier para ser educada. Atualmente é uma das mutantes mais poderosas e sensuais sofrendo com a solidão. 

Vampirella
Vampirella foi criada sobre encomenda na década de 1970. Aproveitando o sucesso dos quadrinhos de horror, a ideia era uma vampira com super poderes mesclando ação com terror, fortemente influenciada pela Barbarella nossa querida vamviresa segue sendo um ícone da sensualidade. Personagem difícil de definir ela protege os humanos (apenas aqueles a quem julga valera pena serem protegidos) e bebe sangue dos mesmos – em geral aqueles que a atraem ou que merecem morrer. Tudo isso enquanto combate outros monstros. A sensualidade da personagem passa uma impressão pueril ocultando uma personagem profunda e histórias muito bem escritas.

Zatanna
O universo da mágica sempre intrigou e fascinou, a sensualidade das assistentes chama mais atenção que os truques em si, Zatanna junta esses dois lados. Parte integrante do universo de Batman a maga provém de uma família de poderosos mágicos e vem combatendo o crime como parte da Liga da Justiça e grupos menores de Gothan City. Sensual, divertida e muito forte ela vem ganhando cada vez mais destaque no panteão da DC. 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Jéssica Paes

Jéssica é a prova viva de que não existem limites para a sensualidade. Capaz de seduzir com apenas um olhar essa linda morena de lábios grossos está pronta para hipnotiza-lo.

Capa da revista Brazil em seus áureos tempos Jéssica é dona de belos seios e capaz de expressões que por si só o levaria a loucura o mais controlado dos homens. Para nossa sorte ela decide mostrar tudo muito mais. Delicie-se com suas curvas:






sexta-feira, 15 de julho de 2016

Entrevista Com Chiaki Kuriyama


Aproveitando o post sobre Heat transcrevi a entrevista concedida pela atriz japonesa Chiaki Kuriyama ao Kawaii Gril Japan onde ela declara seu amor aos animes, falou sobre o sucesso Cold Finger girl e disse o que costuma ganhar no dia dos namorados dos fãs. O blog Os Deuses Mortos é responsável pela tradução do material original, que você pode assistir a entrevista original clicando aqui.

Deuses Mortos: Fale sobre a música Cold Finger Girl
Chiaki Kuriyama: É uma música lírica e futurista que reflete minha personalidade e foi escolhida para ser tema do anime LEVEL E, o que me deixou feliz pois amo o mangá, eu fico muito animada sempre que assisto ao anime e ouço minha música.
DM: A sua personalidade está mais para Gogo Yubari ou Cold Finger girl?
CK: Não sei como falar claramente, existem características das duas dentro de mim. Pelo lado fashion estou mais próxima de Cold Finger.
DM: O que você espera ganhar no dia dos namorados?
CK: Eu costumo ganhar chocolate e presentes de agradecimento, a essas pessoas eu retribuo minha gratidão. Se você quiser declarar seu amor eu digo “boa sorte”.
DM: O que você espera nos próximos anos

CK: Vou continuar dando meu melhor como atriz e cantora, por favor acompanhe meus próximos projetos e cheque meu site com regularidade.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Heat

O universo dos bombeiros costuma gerar histórias emocionantes com muito apelo humano. O drama Heat não é uma exceção, com alguns diferenciais como conflitos de interesse, doses certeiras de humor e lições de humanidade a cada episódio. Vamos ao enredo:
Ikegami Tatsuya (Akira de GTO) trabalha no campo imobiliário, mais especificamente comprando terras onde serão construídos imóveis, nosso protagonista é um verdadeiro tubarão sempre atrás da próxima conquista. Ele separa o mundo em dois tipos de gente: os capazes e os incapazes. Tatsuya fará de tudo para pertencer ao primeiro grupo.
Seu próximo projeto deu errado, graças a um auxiliar que falou demais durante uma bebedeira, prestes a perder um negócio de milhões (e seu status) ele precisa tirar um coelho da manga, mesmo se precisar mentir e manipular, é o que ele faz.
Inicialmente Tatsuya estava encarregado de encontrar e comprar terras de uma cidade para dar início projeto gigantesco, seu auxiliar deixou escapar o nome da cidade e um colega de trabaho, tão ganancioso quanto, rouba o projeto e agora Tatsuya precisa de outra cidade.
Ele descobre a cidade perfeita, até melhor que seu plano original, ou quase os moradores são desconfiados, possuem muito orgulho de sua cidade e não gostam de estranhos. Como vencedores não desistem lá vai o empresário passar um tempo na cidade, conhecer os moradores, descobrir os pontos de acesso que são muito poucos. Nesse meio tempo ele tem a ideia de entrar para o corpo de bombeiros voluntários da cidade.
Bombeiros são pessoas respeitadas, possuem acesso a propriedades e pessoas e possuem idoneidade automática, o disfarce perfeito para criar um disfarce. Isso é o que ele pensa. O corpo de bombeiros voluntários da cidade não deve nada a Loucademia de Polícia repleto de incompetentes atrapalhados os bombeiros são motivo de piada na cidade, tudo o que tentam fazer sai errado. Já os moradores abusam deles com pedidos que ninguém mais realizaria. Resumindo: o que lhes sobra de
Akira - personagem duas caras
coração lhes falta em cérebro.
Sem ter outra alternativa Tatsuya assume outra identidade, abre um escritório falso e entra para o corpo de bombeiros voluntários só para fazer negócios – selecionando as missões envolvendo donos de terra as quais ele se dedica ganhando assimsua confiança – um bom plano.
Uma vez dentro do corpo de bombeiros ele conhece Azumi Sakura (Chiaki Kuriyama) seu extremo oposto. Humanistaria, gentil, desapegada e sempre disposta a enxergar o lado das pessoas que sofrem a moça lidera o grupo de bombeiros e se dedica de corpo e alma ao trabalho voluntário, como a ambição não é seu forte os projetos acabam sendo frágeis e costumam dar errado, o que gera muito sofrimento.
Logo de cara Tatsuya e Sakura não se dão, ela sente que tem algo de errado com o homem de terno, mas ignora, pois, está sempre disposta a acreditar nas pessoas, já o falsário enxerga nela uma mulher pouco feminina e ingênua, não aceitando que a moça conviva com incapazes. Já dá para imaginar onde essa relação leva.
Sem poder desistir Tatsuya investe no corpo de bombeiros dedicado a mudar sua relação com a sociedade aos poucos vai restaurando a confiança das pessoas, a cada missão ele encaminha a compra de terras, já Sakura está feliz por ver os bombeiros sendo reconhecidos.
A cada episódio o homem de negócios vai tomando gosto pelo serviço voluntário, vai percebendo a importância de seu trabalho, criando empatia pelos outros. Em suma amolecendo seu
Chiaki Kuriyama - idealista e ingênua
coração. Os demais bombeiros passam a confiar nele e Sakura se arrepende da má impressão inicial o elogiando. Não é nenhum segredo que uma hora a farsa vai ser revelada e nesse momento eu não queria ser o Tatsuya. Nada é mais perigoso do que uma mulher desiludida.
Heat foi um sucesso da televisão japonesa, devidamente traduzido pelos fansubs brasileiros, seus nove episódios divertem e emocionam exceção feita ao piloto de 90 minutos cada capítulo dura aproximadamente 45 minutos, isso por ter sido exibido em horário nobre.
No fundo esse é um drama sobre relações, pode não ter mistérios elaborados ou profundas reflexões sobre a existência, mas Heat traz um pouco de esperança a um mundo cínico e sombrio apostando na nobreza e na generosidade.
Outra qualidade está no casal de protagonistas Akira vai muito bem em papel sério, diferente do que vimos em GTO aqui ele convence como o homem severo que vai descobrindo o prazer em ajudar os necessitados, seu papel tem poucos espaços para o humor, diferente dos bombeiros, que mesmo atrapalhados se divertem, o outro é a atriz Chiaki Kuriyama, que mais uma vez mostra sua excelente veia cômica. Sua personagem – uma professora de jardim de infância e chefe dos bombeiros voluntários – alterna responsabilidade e ingenuidade, provavelmente por acreditar demais nas pessoas e salvar o mundo acaba deixando de lado sua feminilidade, ponto para a caracterização que deixou uma das mulheres mais bonitas do mundo sem graça.

Concluindo Heat pode não entrar para sua lista de melhores dramas de todos os tempos, tampouco vai ser uma das melhores produções que você viu na vida, mas, com certeza, você vai ficar mais leve depois de assistir. 

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Another – O Livro

Ninguém sabe como começam as lendas urbanas, muitas vem da imaginação fértil das pessoas, outras de algum evento perdido no tempo, é o caso de Another logo nas primeiras páginas vemos duas alunas conversando sobre o que deveria ser um segredo, que como todo segredo existe para ser contato:
Há 26 anos Misaki, uma aluna brilhante, educada e gentil com todas, aquele tipo de garota que todos os rapazes querem namorar e todas as meninas querem ser amigas morreu. Misaki era aluna da classe 3-3 (terceiro colegial, sala número três). Suas colegas ficaram arrasadas, não sabe-se quem ou quando, mas todos começaram a fingir que ela estava viva. Sua carteira foi mantida intacta, os alunos a cumprimentavam, até os professores incentivavam, a brincadeira inocente terminou no dia da formatura, no dia da foto dos formandos Misaki estava presente, então começaram as mortes.
É dessa forma que começa Another, um dos livros mais assustadores e mais vendido no Japão contemporâneo, lançado no Brasil Brasil pela JBC editora conhecida pela publicação de mangás, embora pequena a editora destaca-se pela ótima qualidade de seus produtos.
Another é um fenômeno, o livro inspirou um mangá, um anime e um filme, todos muitos bons. As versões da obra contam a mesma história, a seu modo, o que garante pequenas nuances o que reafirma a qualidade da obra. Não é qualquer coisa que sobrevive a quatro versões e continua instigante.
Desde Ringu – que originou a franquia cinematográfica Ring – O Chamado e seu bom, porém inferior, remake O Chamado e uma adaptação em mangá (lançado no Brasil pela extinta Conrad editora) que não víamos uma obra tão sinistra percorrer o mundo assustando milhões. O principal de Another não são os sustos, mas sim o clima macabro da história, as personagens reais pelas quais nos importamos. A cana morte temos receio por quem perderemos, nos envolvemos com o casal principal torcendo não apenas pela solução do mistério, mas por um envolvimento romântico deles.

O Enrredo

Sakakibara é um órfão de mãe, cujo pai trabalha como arqueólogo viajando o mundo. Em uma dessas viagens a Índia o rapaz acaba obrigado a passar um tempo na casa da avó materno que mora com sua tia (professora da escola onde ele vai estudar). Cidade estranha, escola nova e uma casa não familiar. Como se não bastasse Sakakibara tem uma crise de pneumotórax e acaba internado perdendo as primeiras semanas de aula.
  Dentro do hospital ele passa por dois momentos estranhos, no primeiro os representantes de sala vão visita-lo, os dois parecem ocultar um segredo, um desconforto rasga o ar, sem que Sakakibara posse identificar o porquê; o segundo evento é ainda mais assustaro, ele c0omeça a ver uma garota de tapa olho caminhando pelos corredores do hospital, como ninguém mais parece reparar nela o rapaz a segue até o necrotério.
Uma vez recuperado Sakakibara finalmente conhece seus colegas da sala 3-3, todos muito gentis e educados, porém havia algo de estranhos, um certo temor no ar, alguns estudantes parecem ter algo a dizer, mas são censurados com olhares ou toques de seus amigos. Para coroar o clima Misaki reconhece a garota de tapa olho em sua sala, porém ninguém mais a vê, nem mesmo os professores sabem de sua existência.
Intrigado (ou seria melhor dizer apaixonado) ele começa a perguntar, todas as respostas são evasivas, seus colegas simpáticos e agradáveis se assustam quando o assunto é a garota e desconversam. Sakakibara não é brasileiro, mas não desiste nunca, e fica frente a frente com a menina que se chama Misaki, que diz para ele não se aproximar ou pode morrer.
O clima de medo e insegurança toma conta de todos, alguns alunos tentam falar com Sakakibara, ou demais mantém o silêncio e cortam quem toca no assunto. O rapaz aproxima-se cada vez mais de Misaki alternando entre a curiosidade e o medo. Enquanto isso uma sequência de mortes acidentais começa a acontecer.
Quem é Misaki? Qual sua relação com a Misaki de 26 anos atrás? Por que os estudantes estão morrendo? Existe uma maldição na sala 3-3? Leia o livro.

Another
Autor Yukito Ayatsuji
Editora: JBC
Número de Páginas: 432

Preço médio R$ 23.90 a R$ 39.90 

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Animes são machistas?

Recentemente essa pergunta vem tomando forma em debates feitos na rede. Os fãs de animação japonesa embarcam nessa discussão ainda longe de seu fim. Não pude ficar de fora do debate e vim aqui jogar uma luz sobre a questão.
Primeiro de tudo o que é machismo? Segundo o dicionário machismo é 1. Qualidade, ação ou modos de macho (ser humano ou valentão), macheza; 2. Exagerado senso de orgulho masculino, virilidade agressiva, macheza.
As definições acima não nos levam longe, tentaremos por outro lado, pelo senso comum o que é um machista? Em poucas palavras um homem fraco, que abusa de mulheres para sentir-se mais poderoso, alguém que pratica e defende o abuso contra mulheres e homens considerados frágeis defendendo que estes são seres inferiores.
A grosso modo podemos considerar o machismo como uma lógica - uma defesa via opressão. Muito bem se prestamos atenção na lógica de funcionamento do machismo existe um abuso ou uma agressão verbal/física; a essência dessa lógica encontra-se na fraqueza do homem que para sentir-se viril necessita diminuir e humilhar outras pessoas.
Tendo essa definição podemos perguntar: Os animes são machistas? Algumas pessoas vem defendendo que sim, elas responde olhando para a estética do anime, peguem os animes ecchis por exemplos, aqueles em que personagens femininas ficam sem roupa ou são “bolinadas” pelos homens. Em uma visão superficial sim, esses animes são machistas.
Quem está acostumado aos textos desse blog sabe que eu não me contento com respostas simplórias ou pela metade. O machismo é mais do que uma estética, ele é uma lógica de funcionamento pautada no abuso. Em muitos animes as personagens “abusadas” ou mostradas em situações comprometedoras estão gostando, elas sentem prazer ao explorarem sua sexualidade de maneira peculiar.
Alguns exemplos escolhidos pela inquisição progressista: Highschool of The Dead – um dos animes mais populares do começo do século: alguns alegam que as mulheres são tratadas como objeto. Essas pessoas provavelmente não assistiram ao anime (ou não tiveram a capacidade de aprofundar-se) as mesmas mulheres ditas “objetos” são fortes, muitas vezes mais do que os homens. Elas podem ser fortes e
Highschool of The Dead 
femininas.

são as mulheres que garantem a continuidade do enredo, elas cuidam e protegem os homens, que apaixonados entram na luta contra os zumbis.
Outro caso recente que pode ser citado é DxD onde Rias Gremory e companhia se derretem pelo Issei. O único abuso no anime acontece por parte dos vilões, mostrados como homens e mulheres desprezíveis que sentem prazer em atacar suas vítimas indefesas. Na primeira temporada Asia Argento e o próprio Issei são agredidos pelos vilões (quanto machismo). Alguém pode questionar “as mulheres ficam se jogando em cima do rapaz” sim, porque elas querem. Rias ama Issei e tenta seduzi-lo, o mesmo acontece com Akeno. Elas ficam nuas pois esse é tom do anime o erotismo, todas as mulheres de DxD exploram sua feminilidade sem precisarem sair gritando peladas pela rua.
Outro exemplo em DxD: Rias está prometida ao Fênix, sem poder dizer não ela guarda essa mágoa em seu coração. Issei desafia o demônio para sua amada, com o apoio secreto do irmão de Rias. Mais do que o salvamento o anime trás em seu subtexto a mensagem do direito de escolha. Porém certas pessoas só conseguem ficar na análise superficial, por serem superficiais?
Eu sei que dois exemplos não são suficientes para comprovar ou derrubar uma tese, mas temos que lidar com o espaço do blog que impossibilita a análise de todos os animes. O que posso fazer é voltar ao tema em outro momento. Porém antes de ir precisamos saber quem acusa os animes de serem machistas e por que.
As maioria dos(as) inquisidores(as) são os(as) feministas. mas o que é uma feminista? Partindo da lógica é o oposto de um machista, sabemos (ou deveríamos saber) que os opostos são idênticos, ao avesso, o que isso quer dizer?
Superficialmente machista defende a opressão da mulher, enquanto a feminista defende a liberdade e os direitos da mulher (algo impossível de ser contra). Aprofundando nessa correlação o machista é um fraco, sentindo-se um homem inferior, oprimido pela sua sexualidade, ele se assusta, não sabe o que fazer com seus desejos, como resultado joga a culpa nas mulheres. Quantas belas damas não foram queimadas vivas na idade média acusadas de serem bruxas?
E as feministas? A mesma coisa, sentem-se incomodadas com sua sexualidade, não aceitam sua condição de mulher, sua feminilidade, algumas se odeiam enquanto mulheres, vide como certas femininas se masculinizam (não estou falando de opção sexual). Assustadas e sem saber o que fazer com o fato de serem desejadas, jogam a culpa e a raiva nos homens, aqueles que as desejam.
Essa falsa polêmica envolvendo os animes provém da dificuldade de certas mulheres de lidarem com sua sexualidade como “mulheres desejadas”, elas precisam assumir o comando, colocar-se no lugar ativo (o másculo, segundo a lógica machista) se transformando naquilo que mais odeiam, parafraseando Freud, o desbravador do inconsciente, odiamos as pessoas por mostrarem o que odiamos em nós mesmos. A partir dai enxergam abuso sexual em tudo que existe, inventam uma cultura do estupro, levantam bandeiras e lutam em batalhas inexistentes.

Vou ficando por aqui na esperança de ter esclarecido as ideias de fãs de animação e das pessoas em geral que por ventura lerem meu texto. Deixo um ultimo recado aos leitores: não se sintam intimidados por essas pessoas só porque elas gritam alto. Nos animes existe uma ideologia de prazer, onde as personagens tentam ser felizes e se aceitam como são. Algo que a cegueira ideológica não permite.  

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Bruna Medeiros

A gata do mês de julho é uma morena maravilhosa de corpo perfeito e olhar sedutor capaz de capturar a mente dos homens com apenas com um sorriso. “Gosto dos meus olhos, mas elogiam mais meu bumbum. Acho justo! Mas olhar é também seduzir e ser seduzida”.
Modelo profissional já foi capa da Private e Sexy Clube onde marcou época. Quanto suas fantasias mais quentes “transar em uma praia debaixo da lua”. Alguém se habilita? Já no sexo ela é mais conservadora, ao ser questionada sobre suas preferências: “Com dois homens de uma vez não me interessa só com mulher, nunca? E eu no meio de um casal também não. Ou seja. Só sei ser eu mesma com alguém especial”.

Romântica a moça deixa clara preferir um sexo tradicional e afetivo com a pessoa certa: “depende muito” o homem tem que conquista-la. Sobre suas posições: “Não escolho lugares ou posições” e complementa: “anal não curto e DP jamais”.











Perfil:
Altura: 155 cm
Busto: 98 cm
Cintura: 65 cm
Quadril: 101 cm






"Os Deuses Mortos" Oito Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...