Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

PT a imagem da decadência e da desesperança

A esperança venceu o medo – frase que celebrou a primeira eleição de Lula à presidência também serve para o processo de impeachment. Descrito como impossível e traumático o processo saiu das ruas e chegou ao senado, a ser votado ainda esse mês, petistas que viam a ideia com escarnio jogaram a toalha. A começar pela afastada Dilma Rousseff.
 Os sinais são muitos, para começar o derretimento da imagem de Lula, outrora maior símbolo do poder petista representa toda sua decadência, isolado o ex-presidente desperta preocupação de amigos próximos. Pré-candidato à presidência da república em 2018 Lula lidera nas intenções de voto no primeiro turno e perde para todos os adversários no segundo turno.
Os números são apenas aparentes, Lula e seus seguidores sabem disso, a classe política vive um desgaste e muitos eleitores estão com raiva o que favorece grupos com seguidores fieis. A rejeição a Lula é ainda maior que antes dele assumir a presidência, dessa vez sem chance de convencer novos eleitores.
Lula vem em campanha presidencial desde ano passado, quando foi levado coercitivamente pela polícia federal e ainda corre o risco de ser preso antes das eleições. O ministro do supremo Teori Zavascki, relator da Lava jato no STF, enviou denúncia contra Lula a justiça de Brasília por obstrução da Justiça que foi aceita poucas semanas atrás.  Apesar de ruim essa é a melhor notícia para Lula cuja denúncia não foi enviada para Sergio Moro, que possui contra o ex-presidente inúmeras delações premiadas.
No final de julho Lula tentou se fortalecer indo ao Nordeste, último reduto eleitoral, seu primeiro ponto de desembarque foi Pernambuco, sua terra natal, lá membros do MST e o vice-prefeito Jorge Gomes (PSB) presenciaram a multidão de oito pessoas (isso mesmo oito, não oitocentos ou oito mil) esperavam pelo ex-presidente, que acabou mudando os planos e seguindo direto ao seu hotel.
O desembarque foi ainda mais melancólico, acompanhado de poucos membros do partido Lula saiu pela porta dos fundos sem cumprimentar nenhum presente, muito diferente de outros tempos onde enfrentava sorridente multidões apaixonadas, seguindo direto para o hotel Lula participou de uma entrevista coletiva um pouco estranha em um pequeno salão fez um discurso sobre o “golpe” e sem responder nenhuma pergunta foi embora. Sua declaração foi transmitida para emissoras locais, muito diferente do horário nobre nacional ao qual estava acostumado.
Em Caruaru Lula viu-se em situação semelhante à da década de noventa, só que muito pior, isolado apenas com apoio da CUT e MST o ex-presidente não tem a esperança de conquistar votos em diferentes classes de eleitores, algo necessário para voltar a presidência da república. A Lava Jato e a decadência da economia afastaram o eleitorado do PT.
Nem o tempo ajudou Lula discursou quarenta minutos para a militância em Recife, porém uma chuva imprevista diluiu a multidão, no começo dos anos 2000 poderia chover fogo que os militantes persistas permaneceriam de pé.
Em outubro de 2013 a rejeição de Lula era de 13% em abril de 2016 chegou a 53% some a isso os primeiros acenos de Temer na presidência da república e o aumento do otimismo da população com a economia que o resultado é péssimo para Lula. Se as medidas de Temer cumprirem a promessa de reestabelecer e recuperar a nação Lula perderá as poucas chances que tem. Afinal ele é responsável direto pela escolha de Dilma para presidência.
O plano B do PT é ainda mais desesperador,
PT sem futuro e sem presente
alguns membros dentro do partido acenam com o nome de Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo, que tem 70% de rejeição e que corre o risco de ficar fora da disputa do segundo turno, algo inédito, se a principal capital do país o rejeita tanto quais suas chances?
O que estava ruim ficou ainda pior. O PT chegou ao poder principalmente por afastar-se da esquerda, primeiro aliando-se ao PRB e depois ao PMDB – a principal legenda do país rompeu com o partido da estrela vermelha e já sinaliza um acordo com o PSDB comprometendo-se a apoiar o candidato tucano incondicionalmente. A primeira reunião entre os dois partidos terminou com um abraço entre Temer e Aécio.
Todo esse frágil planejamento pode ir por água a baixo, recentemente o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes abriu processo para extinção do PT, o sonho de ficarmos livres desse partido está próximo de tornar-se realidade.
Se o futuro é negro o presente não apresenta perspectivas Dilma isolada joga a toalha, o portador das boas notícias foi Renan Calheiros, em jantar com Michel Temer o presidente do Senado revelou as palavras de Dilma sobre o impedimento: “Quero acabar com essa agonia”.  Renan é aquele político que está sempre do lado do poder, hoje o poder está com Temer.  

Dentro do PMDB o sentimento de fatura liquidada é unânime, mesmo o mais fanático dos petistas sabe que alimenta ilusões. Temer vem governando para o país e para se manter no poder, negocia com políticos importantes e recebe empresários dispostos a investir no Brasil. É só uma questão de tempo para nos livrarmos do partido da estrela vermelha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...