Oito Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O que esperar de Ghost in the Shell?

Saiu o primeiro trailer da adaptação de Ghost in the Shell, não me empolgou, mas também não anunciou nenhuma tragédia. O que pudemos ver foi um visual muito bonito, algumas cenas parecidas ao anime e outras cenas bem diferentes, o que está longe de ser um problema.
Meu grande medo é quanto ao tom da adaptação. O anime é denso com um fundo psicanalítico. Na trama a Major Motoko é uma ciborgue, assim como tantos ela substituiu partes de seu corpo, para ser mais específico ela teve seu cérebro implantado em um corpo cibernético.
Durante a animação Motoko estranha a si mesma e ao mundo em que vive, ela tem um sonho que não sabe se é fruto de um desejo, de um temor ou uma memória. A protagonista cruza a cidade e vê a si mesma, como uma humana, tomando café. 
Motoko se questiona sobre suas escolhas, ela está fazendo escolhas por sua vontade ou são seus implantes cibernéticos? Ela ainda é ela ou quando se transformou passou a ser outra pessoa, se for assim quem ela foi e quem ela é?
Por essa pequena descrição dá para perceber que não é o tipo de tema que vemos nos maiores sucessos de bilheteria - vide os filmes da Marvel cada vez mais superficiais e mais voltados para crianças pequenas. Se Ghost in the Shell quer ser um sucesso ele vai se adaptar a essa fórmula?
Batman Vs Superman pagou um preço amargo por ser mais denso e não se voltar para um público acéfalo, agora a adaptação do anime vai enfrentar alguns obstáculos: diferente das personagens em quadrinhos ele possui apenas um longa de animação; não possui uma marca forte (como Marvel) por trás e não tem personagens populares e conhecidos.
O que particularmente me irritou foram as supostas cenas de nudez. No anime a pele de Motoko é
Diferença entre a pele artificial
protegida por uma camada resistente ao calor, frio e capaz de tornar-se invisível. No trailer vemos a mesma cena e Motoko teve sua pele substituída por um treco, com direito a uma piadinha idiota explicando.

O mais puritano (ou o mais feminista) deve estar pensando "Você só quer ver mulher pelada". Não! A pele tem um sentido, Motoko questiona sua humanidade graças a aparência humana, se ela não tem essa aparência como pode se questionar? Não faz sentido uma personagem duvidar de sua humanidade se ela não parece uma humana.
A pele da Motoko mostra uma preocupante adaptação para públicos mais jovens, agora pensem o público jovem é o mesmo que devora e idolatra produtos repetitivos e cheios de piadinhas idiotas, recharçarndo qualquer coisa nova (nem precisa ser inovadora) e mais reflexiva, qualquer coisa que não possa ser explicada com uma piada é rejeitada.
Como apresentar uma adaptação de uma obra densa, complexa e sombria para um público burro que quer soluções fáceis, personagens vazios e a mesma piada repetida inúmeras vezes?

O que gostei do trailer

O que mais chama a atenção é o visual, porém me recuso a elogiar uma obra apenas por sua imagem, ela pode ser vazia ou pode amarrar a narrativa. Depende do filme. Porém a obra tem coisas a serem elogiadas (mesmo que prematuramente)
Primeiro de tudo o elenco: Scarlett Johansson é uma das atrizes mais talentosas de sua geração, durante grande parte de sua carreira participou de produções intimistas, filmes "sérios", alçando a fama como a
Viúva Negra (suas participações nos filmes da Marvel são muito boas) e mesmo assim alterna filmes pipoca com produções sóbrias.
Scarlett participou de um filme muito parecido com o anime: Sob a Pele onde vive um alienígena que seduz homens a fim de fortalecer uma pele humana e se passar por um de nós. Filme surrealista e sutil levanta a questão sobre a importância da pele (da aparência) temática do anime estraçalhada já no primeiro trailer.
Outro nome que agrada muito é o de Takeshi Kitano
um puta ator japonês, acostumado a filmes violentos e questionadores sobre a cultura japonesa ele usa a violência explicita para apontar outras violências que passam despercebidas, como os jovens japoneses abandonados por seus pais ou uma cultura da hipocrisia.
A presença de Kitano é uma boa notícia. No ano 2000 ele  foi para Hollywood filmar Brother - A Máfia Yakuza em Los Angeles (o subtítulo horroroso é fruto da péssima dublagem brasileira). Apesar do filme ser bom (longe dos seus melhores trabalhos) a experiência foi tão traumática que o japonês jurou nunca mais participar de uma produção americana.
E aqui está Kitano, ele não é o tipo de artista que se venderia por dinheiro, não combina e ele não precisa disso. Se topou participar de Ghost in the Shell é porque viu algo ali. Ponto para o filme.
Ainda no quesito elenco o diretor Rupert Sanders responsável pelo lixo Branca de Neve e o Caçador, em fim oremos para os deuses dos animes.
Algo que gostei foram cenas não existentes no animes, sim uma adaptação não é obrigatoriamente uma filmagem quadro-a-quadro, pode ser uma reimaginação, pode-se contar uma outra história tendo o original como base. Como se o diretor fizesse a sua versão da história. Eu gosto dessa linha.
Um bom exemplo são os filmes de Evangelion, ao recontar o seriado novos eventos foram apresentados, situações mudaram, desfechos se fizeram outros e até uma nova personagem foi aprecentada. Prova viva de que não é necessário recontar a mesma história, basta respeitar o original e manter-se fiel ao espírito e a ideia original da obra.

Espero que Ghost in the Shell de certo

Apesar das duras críticas feitas acima eu não sou um hater, eu espero que o filme fique bom e que seja um sucesso e o motivo é simples. Gostaria de ver animes sendo adaptados o que populariza a animação
japonesa (que anda meio esquecida por aqui). 
Se o filme der certo teremos produtos: colecionáveis mais baratos, mais animes na televisão, mais animações chegando aqui em diversos formatos. Vide os heróis de quadrinhos. Quem falava do Capitão América antes dos filmes?
Mas é necessária uma combinação. Não adianta o filme ser muito bom se não der dinheiro, os executivos não vão investir; por sua vez não adianta render rios de dinheiro se o filme for ruim.
Eu quero muito ver filmes baseados em animes, mas não quero que eles sigam a fórmula Marvel, não quero ver boas personagens transformados em idiotas que contam piadinhas para o delírio de babacas - Faça uma comparação entre os excelentes dois primeiros filmes do Capitão América e os bons Homem de Ferro 1 e 2 e o primeiro Vingadores com as atuais porduções da editora. A qualidade de roteiro caiu profundamente.
Tenho muito medo de ver uma obra tão boa como Ghost in the Shell ser prejudicada, mas quero muito que o filme de certo (em todos os sentidos) mas não sei, tenho um pé atrás e espero estar errado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Os Deuses Mortos" Oito Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...