IX Anos de Os Deuses Mortos

Os Deuses Mortos Nove Anos

sábado, 9 de dezembro de 2017

O Brasil nos animes e Tokusatsu

Quem está acostumado a assistir animes ou demais séries japonesas já percebeu que vez ou outra os responsáveis acabam homenageando outros países e culturas. Os motivos são muitos desde mercadológicos até o gosto pessoal do criador.
O Brasil já foi representado algumas vezes, em sua maioria pela música ou ao esporte ou pela preferência dos artistas envolvidos. Independente do motivo nesse post vou trazer as referências que os japoneses fizeram ao nosso país.

Personagens Brasileiros

Que melhor maneira de começar se não pelo mangá/anime recordista de vendas e tempo de publicação One Piece. Seu criador Eiichiro Oda afirmou que se One Piece se passasse em nosso universo Luffy (o protagonista) seria brasileiro!
Para Oda sensei Luffy é a representação da liberdade, poucas coisas irritam mais o pirata do chapéu de palha que ser obrigado a viver uma vida burocrática, sem poder ser ele mesmo e se expressar. Para isso ele escolheu o brasileiro como "modelo" para sua principal criação. É uma bela homenagem.
Outra personagem bem conhecida é Aldebaran de Touro, do anime Cavaleiros do Zodíaco, na trama cada cavaleiro veio de um país e/ou foi treinado em uma nação. 
É interessante ver que uma das mais poderosas armaduras (a de ouro) veio do Brasil.
Aldebaran é brasileiro e foi treinado no Brasil, onde conquistou sua armadura, tanto no mangá, como no anime foi dito que apesar de sua aparência (210 cm e 130 kg) Aldebaran é uma pessoa gentil. Analisando ele é um dos caras mais legais do anime.
Marci Saotome
Lembram-se do porque o cavaleiro de touro enfrentou Seiya e companhia? Para ajuda-los a despertar o sétimo sentido, depois de derrotado o mesmo caiu na gargalhada. O cavaleiro está sempre rindo, diferente de outros cavaleiros gélidos.
O anime Musumet - As Justiceiras, exibido no canal Animax trazia três heroínas que se transformavam usando capacetes irradiados por um meteorito. As heroínas tinham como antagonistas três irmãs de nacionalidades diferentes. É isso mesmo três garotas de nacionalidades diferentes, irmãs, que moram no Japão.
Shion Saotome (americana); Kou Saotome (chinesa) e a brasileira Marci Saotome, que ao se transformar evoca o carnaval brasileiro. 
Nem só de piratas e cavaleiros que vive o Brasil,
Kamen Rider Amazon
existe até um Kamen Rider BR, o Kamen Rider Amazon de 1974 Daisuke Yamamoto cai na floresta amazônica e é criado por lá, quando cresce vira um herói cuja transformação é inspirada na piranha.

Daisuke é japonês de nascença, mas foi criado no Brasil o que fala mais alto a genética ou o meio em que a pessoa vive?
Em Goseiger (2010) tem um vilão que assume uma forma chamada Chupa Cabra; a mesma série apresenta outro monstro chamado Brajira (é como os japoneses chamam nosso Brasil) de aparência bem carnavalesca.

Cidades e Lugares

Em Gundan de 1979 a sede da Confederação da Terra fica em um complexo sob o rio Amazonas e a bandeira é quase igual a brasileira: Verde, amarela e azul, com o globo terrestre no lugar do arco estrelado.
Gundan Seed Stargazer, de 2006 trás cenas importantes em Fortaleza, Amapá, Bahia, Brasília e Maranhão. O Brasil também é citado em Gundan 00, como uma nação aliada.
O anime Michiko e Hatchin (2008 - 2009) é ambientado no Brasil, antes de produzir a diretora visitou o Rio de Janeiro e Olinda, pesquisando o país para sua série. O tema de abertura é o samba Paraíso. Mas parece que os brasileiros não conhecem o anime.
Um dos OVAs de Hellsing é ambientado no Rio de janeiro, ali Alucard hospeda-se em um hotel repleto
Michiko e Hatchin
de vampiros nazistas, onde troca tiros com eles destruindo o hotel. É uma das coisas mais violentas e sanguinolentas da história da animação, ou seja mais real impossível.

A mensão mais recente foi no anime Akiba´s Trip (2016) uma comédia amalucada sobre vampiros sensíveis a luz que precisam ser despidos para serem derrotados, totalmente ambientado no bairro de Akihabara (o paraíso nerd no Japão) a exceção é a Amazônia.
Logo nos primeiros episódios um vilão tenta controlar Akihabara usando ondas de rádios, uma das heroínas recorda-se de seu professor, especialista em rádio, faliu e foi refazer sua vida sendo minerador na Amazônia (para quem não sabe a exportação de pedras preciosas é um dos principais motrizes da economia brasileira). 
O Brasil voltou a franquia Kamen Rider no século XXI no filme Kamen Rider 000 Vs Wizard o final é ambientado no Brasil, mais especificamente Rio de Janeiro, com direito a uma rainha de bateria nipônica sambando.
Já o filme Kamen Rider Gain X Wizard de 2013 o Rider Wizard está passeando pela praia de Fortaleza com direito a placas em português indicando o caminho para a capital.
Em Kamen Rider Amazons (2016-2017) a equipe usa como base o Latin Club Leon, recheado de referências ao Brasil como alimentos e cartazes.

Futebol

O futebol brasileiro é muito admirado pelos japoneses, ele já foi citado em Super Campeões (1983-1986) de Yoichi Takahashi, na trama o protagonista Oliver Tsubasa vem para o Brasil jogar pelo São Paulo Futebol clube. 
O grande ídolo de Oliver e responsável por trazer o futuro craque para o tricolor, é Roberto Rongo, ex-jogador aposentado que percebe no garoto um diamante bruto.
Em 2002 outro mangá de Yoichi Takahashi foi
transformado em anime, esse é Hungry Heart - Wild Striker, que chegou a ser exibido no finado Animax, Kyosuke é um delinquente japonês, irmão mais novo do astro da seleção nipônica, o que joga muita pressão em seus ombros.
Desperdiçando seu talento a rapaz é convencido a entrar para o time de sua escola, que conta com dois jogadores estrangeiros: um goleiro filho de japoneses com ingleses e Rodrigo (claramente inspirado no Robinho). O brasileiro é habilidoso, mas fominha e vive zoando os japoneses dizendo que eles não sabem jogar futebol.
Super 11 também trás referências ao Brasil, onde muitos jogadores sonham em vir pra cá. Existe um time que homenageia a seleção com os craques Falcão da Silva e Lagarto Carlos, já percebeu em quem eles são baseados, né?
No anime School Humble (um dos mais engraçados já feitos) faz uma rápida homenagem citando um encontro entre um dos protagonistas com o então técnico da seleção Zico.
Em Assassination Classron Kuro Sensei vem para o brasil, onde fica nos zoando pela derrota para a Alemanha por sete a um. Justo, eu diria.
Quem assistiu Kamen Rider Black RX (1988) na Manchete deve se lembrar do agasalho do Santos. Esse pertence a Toei e apareceu em várias séries: Jiban; Solbrain e Jamperson (1993 e único não exibido no Brasil).

Ayrton Senna

Ayrton Senna de Akira Toriyama
Responda rápido que país idolatra mais Ayrton Senna Brasil ou Japão? O piloto foi escolhido pelo governo japonês como embaixador oficial da Fórmula 1 no país, cargo que ele aceitou com prazer.
Akira Toriyama, criador de Dragon Ball, rendeu várias homenagens ao piloto em  DB com Goku e sua turma na McLaren Honda de Senna, além de escreveu um mangá de um volume acompanhando uma corrida onde Senna venceu seus rivais.
O piloto ainda é homenageado no anime Rozen Maiden (2004) com um pôster no quarto do protagonista e em Kamen Rider Drive a transformação Tipe Formula é inspirada no piloto em sua fase pela willians.
Em Solbrain (1991) ele é homenageado com diversos cartazes em uma oficina mecânica, lembrando que o piloto estava no auge e tinha acabado de ser bi-campeão mundial.

A Música Brasileira

Os japoneses adoram nossa música (ressaltando que funk não é música e eles não conhecem a sofrência) Cowboy Beboop (1998 - 1999) trás três senhores em quase todos seus episódios chamados: Antonio, Carlos e Jobim. 
Os três não tem nenhuma importância para o
Antonio, Carlos e Jobim
desenvolvimento da trama, estão lá apenas para a homenagem do criador, que é fã do compositor.

O anime Wolf´s Rain de 2003 e também exibido pelo saudoso Animax tem uma bossa nova original, composta no japão, mas cantada em português como tema de encerramento. 
Kyoryuger

Nenhuma obra usou tanto a música brasileiro do que o super sentai Kyoryuger de 2013 os heróis inspirados em dinossauros tiram seu poder da Canção da Terra descrito como: "algo que não se controla" inspirado no samba.
A coreografia de transformação se dá após uma sambadinha dos heróis; o líder vermelho ativa o modo "carnival" cheio de plumas e cores. Esse mesmo líder tem uma cena em que viajou ao Brasil, com direito a comer uma coxinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...