IX Anos de Os Deuses Mortos

Os Deuses Mortos Nove Anos

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Análise da seleção brasileira

Passaram-se quatro anos desde o desastre de 2014 (não me refio aos 7 X 1), chegamos a mais uma copa do mundo com um técnico que pode tirar de cada jogador o melhor que eles podem dar.
Nossa geração está mais madura e não é tão ruim assim como se acreditava, mas será suficiente? vamos analisar:


Pontos fortes

Começando pelo óbvio, Tite é o melhor técnico brasileiro da atualidade e ao ser contratado pairava uma dúvida: ele conseguiria implantar seu estilo em uma seleção, onde os jogadores são milionários (e mimados) e não convivem regularmente?
A resposta foi dada logo nas eliminatórias, não pelos resultados e sim pelo futebol jogado.
Outro ponto positivo é o volante Casemiro, ele é uma das peças mais importantes da seleção, olhe para o Ral Madrid, é só por causa dele que Cristiano Ronaldo, Benzema, Isco (Bale) e Marcelo podem atacar livremente.
Casemiro é o principal ladrão de bolas da Espanha e fundamental para o esquema do Tite, podemos imaginar um trio de ataque menos preocupado com a marcação graças a ele.
Marcelo é outro ponto forte o lateral esquerdo é praticamente um meia, no Madrid ele arma o jogo, cruza e faz gol, sem a obrigatoriedade de ficar marcando. Tite pensa nisso e deve dar espaço para ele.
Paulinho, vindo do rival Barcelona Paulinho é um jogador eficiente no ataque e na defesa, decisivo costuma aparecer no 0 X 0 ou 1 X 1, quando precisa sabe chamar a responsabilidade para si.  
Gabriel Jesus, o atacante é uma das melhores revelações do nosso futebol, vem brilhando no campeão inglês, graças a ele é possível variar o jogo na frente, não dependemos apenas do Neymar.
Por falar no Neymar o tacante possui talento, infelizmente dentro de um pacote, fora de campo ele parece um moleque retardado. Lhe falta cabeça e gosta de humilhar os adversários. Olhando apenas para o lado humano ele não merece levantar uma copa do mundo.


Pontos Negativos

A panela de Itaquera é um problema: Renato Augusto, Fagner e Cássio - o primeiro é o jogador certo no ano errado, fisicamente decadente ele deveria ter ido para as copas de 2010 e 2014, mesmo assim segue sendo um jogador importante para o esquema tático, dedicado e eficiente ele fez por merecer estar na seleção, apesar de jogar na China.
O problema reside nos outros dois, jogadores abaixo da média: Fagner é um carniceiro, tecnicamente bom para o consumo interno, que nunca chegaria perto de um grande clube europeu. Por só ter jogado no Brasil ele será um perigo na marcação.
Cássio é uma incógnita, capaz de grandes defesas e erros grotescos ele vai de herói a frangueiro em poucos meses. O Cássio de destacou graças a um sistema defensivo muito eficiente do Corinthians.
Miranda esse foi um excelente zagueiro, de sangue frio e bem técnico Miranda é outro que está na copa errada, a sua era de 2014. Hoje está decadente e sem lugar nos grandes clubes da Europa, podemos confiar em uma defesa com ele e Fagner?
A dupla do Shaktar: Fred e Taison, dois nomes que todo mundo se pergunta: "como assim?" toda convocação tem aquele nome que ninguém entende, muitas vezes um gosto do técnico.
Outro problema é a falta de nomes que possam mudar o jogo taticamente, se o Brasil estiver em uma partida difícil e precisar recorrer ao banco? Lembram de 2010 no jogo contra a Holanda? Dunga precisava de um jogador para cadenciar a bola e não tinha.


Incógnitas

A seleção tem três jogadores que tecnicamente são muito bons, mas não sabemos se são capazes de decidir.
Philippe Coutinho é um meia de talento inquestionável que pode armar o jogo e chegar a frente fazendo gols, vestiu três camisas pesadas na Europa (Internazionalle, Liverpool e Barcelona) mas será capaz de decidir uma partida?
Em nenhum desses clubes ele mostrou essa característica, send sempre um excelente coadjuvante.
Outra incógnita é o atacante Douglas Costa da Juventus, ele fez um ótimo ano na campeã italiana e mereceu sua convocação, mas ele é um jogador que quando precisa bate a mão no peito e fala "dá pra mim que eu resolvo"?
Na decisão entre Real Madrid e Liverpool Roberto Firmino provou ser um ótimo coadjuvante, com o Salah em campo ele apareceu, buscou jogo, se destacou, sem o Salah sumiu. É quase uma certeza, Firmino não é um jogador que cresce em decisão e se apresenta quando mais se precisa dele. 


Conclusão

Penso que o Brasil chega forte para essa copa, mas não vejo a seleção campeã, também deve passar longe de uma vergonha. Acredito ser um time para quartas de final ou semi-final, quem sabe um quarto lugar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...